Réveillon: estes são os rituais de ano novo mais comum em outros países

Por Rodrigo Almeida

Toda família tem uma vó ou uma tia para comandar os rituais de passagem de ano. Seja colocar todos para comer uma sopa de lentilha sem graça ou guardar sementes de uva na carteira, pular ondas do mar ou pular de uma cadeira na virada do ano.

Esse post foi feito para essas pessoas incríveis – sem sarcasmo ou ironia -, para que elas agreguem novos rituais ao rol de misticismos de fim de ano. Um pouco de mudança na noite de Réveillon não faz mal nenhum, afinal, já tem gente cansada de usar amarelo e vermelho toda virada de ano.

Leia e mostre este artigo sobre como as pessoas se comportam em diferentes países. Se você não acredita nisso tudo, vale a leitura pela curiosidade.

Confira os rituais de fim de ano em diferentes partes do mundo.

Bielorrusia: é colocada uma pilha de grãos de milho em frente as mocas que ainda não se casaram e um galo é solto. A pilha que o animal escolher indica a próxima noiva.

Vietnã: Comprar peixes de água doces e libertá-los. Limpar a casa e todos os objetos de porta e cobre, e fazer o possível para entrar o ano novo sem dívidas.

Tailândia: deixar em liberdade os pássaros enjaulados.

Noruega: esconder uma amêndoa no interior de uma sobremesa de arroz com leite. O Sortudo que encontrar a amêndoa terá uma boa situação financeira

Tibete: escutar o 108 vezes o gongo para eliminar as 108 debilidades humanas descritas por Buda. Oferecer comida aos monges e colocar luzes coloridas pela casa.

Grécia: Cozinhar a Vassilopitta – um tipo de pastel – e colocar uma moeda de ouro ou de prata dentro dele. A pessoa que encontrar a moeda será o mais sortuda do ano seguinte.

Espanha e alguns lugares da América Latina: comer 12 uvas depois da meia noite para ter sorte em cada mês do ano.  Caminhar com uma mala na parte de fora da casa para que se cumpram as viagens sonhadas.

Finlândia: jogar chumbo líquido numa vasilha de agua fria e interpretar as formas que aparecem quando o metal se solidifica. Se aparece um porco, haverá fartura, se surge um coração, haverá um casamento.

Armênia: cozinhar um pão especial e colocar os desejos dentro dele e assa-lo.

Itália: jogar tudo o que é possível pela janela. Ou seja, desfazer-se de todos os objetos que já não são necessários jogando-os através da janela.

Filipinas: vestir roupas com círculos estampados. Acredita-se que os círculos atraem dinheiro. Outra opção é jogar moedas ao chão exatamente à meia noite.

Paquistão: queimar montes de madeira para destruir os males do ano que se foi.

Romênia: acender uma vela e aproximar-se de um poço para ver se o reflexo da agua chama algum sinal de matrimonio. Também se costuma colocar um ramo de manjericão debaixo da almofada. Essa tradição é só para quem quer casar.

Bali: levar as estátuas sagradas para as cerimonias de purificação no último dia do ano. Caminhar até as praias e rio em grandes procissões e rezar. Fazer o máximo de barulho possível para satisfazer os deuses. No entanto, isso muda no primeiro dia do ano. Dia primeiro é de silencio e respeito. Até os aeroportos fecham.

Laos: Tenha muita cuidado porque a deusa do Ano Velho desaparece no último dia e deixa as pessoas sem nenhuma proteção até que surja um substituto.

Bélgica: Quem vive no campo, deseja feliz ano novo para os animais. Para os cidadãos, vale a pena expressar bons desejos aos pets, que provavelmente não vão estar muito felizes com o barulho dos fogos de artifício.

Suíça: deixe cair uma gota de creme no solo para trair boa sorte.

Dinamarca: quebre os pratos que estão velhos em frente à porta do vizinho para que tenha boa sorte. Se não tem pratos velhos ou não conhece o vizinho, há uma alternativa: salte de uma cadeira exatamente à meia noite para ter boa sorte.

Sicília: comer lasanha para dar boa sortem porque as outras massas não são recomendáveis.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo