Prada é acusada de racismo por produtos que lembram 'blackface'

Por Metro Jornal

A Prada está sendo acusada de racismo após exibir uma série de produtos que lembram o "blackface", pintura facial com carvão usada antigamente em teatros de comédia para debochar de pessoas negras. No site oficial da grife italiana, a linha Pradamalia é descrita como "uma nova família de minúsculas criaturas misteriosas que são parte biológica, parte tecnológica (…) e exibem poderes sobrenaturais e algumas peculiaridades gritantes."

A onda de protestos teve início nas redes sociais, depois que uma imagem da vitrine da loja em Nova York revoltou consumidores e ativistas.

vitrine prada black face Reprodução/Twitter

Leia também:
Iate de luxo de Eike Batista vai a leilão mais uma vez nesta terça-feira
Oscar 2019: Brasil fica de fora da disputa de Filmes Estrangeiros pelo 20º ano consecutivo; veja concorrentes

Em um comunicado oficial, a Prada afirmou que "a semelhança dos produtos com blackface não foi intencional, mas isso não exclui o dano que eles causaram". A empresa pediu desculpas e anunciou que os itens foram removidos do mercado e não estão mais disponíveis para compra, além de reafirmar o "compromisso de criar produtos que celebrem a diversidade de moda e beleza ao redor do mundo".

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo