As mulheres tendem a ser mais infiéis que os homens, diz estudo

Por Rodrigo Almeida

Um estudo realizado pela Universidade do Texas afirma que as mulheres são “geneticamente” mais infiéis que os homens, desafiando uma série de pesquisas que diziam o contrário.

O mito de que as mulheres sentem menos desejo sexual que os homens já foi destruído há muito tempo, no entanto, o que está mudando agora é a percepção de fidelidade que as mulheres passam.

De acordo com a pesquisa, a tendência à infidelidade feminina responde aos instintos mais primitivos. Em tempos pré-históricos, a expectativa de vida não superava os 40 anos.

Como instinto de sobrevivência, as mulheres buscavam mudar de companheiro sempre em busca de mais proteção e para favorecer a reprodução.

Evolução cultural 

O estudo ainda diz que para ambos os sexos a monogamia vai de encontro aos padrões de acasalamento primários do ser humano. Fidelidade e um companheiro para vida toda “fazem parte de um processo evolutivo e cultural”.

Ou seja, a monogamia vai contra os instintos mais primários do ser humano. A Espanha é um dos países que mais viu o crescimento da infidelidade feminina nos últimos tempos.

Segundo uma pesquisa anônima do Diário El Mundo, 52% das mulheres disseram ter sido infiéis em algum momento da vida contra 48% dos homens.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo