Tá servido? Alimentar-se bem melhora desempenho esportivo

Por Metro Jornal
Alex Atala selo Arte / Metro Jornal

Se você pratica esportes, sabe que uma alimentação adequada favorece o desempenho. Para aqueles que se movimentam por saúde e qualidade de vida ou para atletas de alto rendimento, controlar o que se come é fundamental. E o segredo para conseguir resultados satisfatórios é, além da disciplina, manter o equilíbrio: sem neura, mas sem exageros. De grão em grão!

LEIA O METRO DESTA QUARTA-FEIRA (28) COM O EDITOR CONVIDADO ALEX ATALA

“O primeiro passo é fazer análise da alimentação. Profissionais pedem ao paciente para fazer um recordatório, anotar o que comeu nas últimas 24h. Isso porque as vezes achamos que temos uma boa alimentação, mas, no fim, nem tanto. E isso ajuda a adequar o cardápio”, explica Renato Lobo, médico formado pela USP com especialização em Nutrologia e atuação com foco em emagrecimento e performance esportiva.

Pode não ser tão mamão com açúcar assim – aliás, prefira o mamão sem o açúcar –, mas se “você é o que você come”, isso também envolve seu lado atleta. Por isso, listamos ao lado dicas de alimentação que são muito bem-vindas na vida de um esportista. Isso varia de acordo com o organismo, a condição física e o esporte praticado, mas, via de regra, Lobo recomenda: “Mais feira e menos embalagens”. É batata!

Leia mais:
Febre de reality shows de gastronomia transforma relação do brasileiro com a comida
‘Meu compromisso é com a vida’, diz Alex Atala, editor convidado do Metro; leia entrevista

dicas alimentação Reprodução/Metro

Veja alguns depoimentos:

Demian Maia: Lutador de MMA

Demian Maia André Porto/Metro

Desde os 12 anos que Demian Maia treina com dedicação. E a alimentação sempre teve uma atenção especial no seu dia a dia. “Meu conceito é me alimentar bem, independente de treinar ou não”, explica o atleta. Estudioso do tema, tem sempre o apoio de um nutrólogo, que busca as melhores saídas para seu rendimento. “Criei hábitos alimentares aos poucos e hoje tenho uma dieta saudável sem fazer esforço”, diz. Aos 41 anos, Demian precisa de uma alimentação baixa em carboidrato e alta em gordura e proteína animal, evitando pães, arroz e batata. “Me concentro mais em carnes, ovos e legumes”, diz, enfatizando ainda frutas, castanhas e queijos. Folhas verdes escuras, como couve ou espinafre, não são suas preferidas, mas estão constantemente no prato.

Dani Lins: Levantadora do Hinode Barueri e da Seleção Brasileira

Dani Lins FuturaPress

Aos 33 anos, a jogadora de vôlei tem uma rotina intensa de treinos e jogos. Por isso, tem uma alimentação reeducada, sem precisar de dietas. “Procuro fazer cinco refeições, com um café da manhã muito forte, por ser a primeira do dia e também por ser antes do treino da manhã”, conta. Cuscuz, tapioca e um suco com laranja, gengibre, hortelã e couve estão constantemente no cardápio. Nos treinos, muita água e uma fruta, já almoço e jantar quase sempre tem a dupla infalível de arroz com feijão, acompanhada de carne e uma salada. “Meu cardápio tem um pouco de tudo, mas no meu caso a proteína é importante mesmo”.

Simone Sartori: Triatleta

Simone Sartori Divulgação

Preocupada com sua saúde, a jornalista pratica corrida há cerca de três anos e, em 2018, resolveu arriscar no triatlo. Com acompanhamento de uma nutricionista, redescobriu a alimentação. “Sigo um plano que se encaixa na minha rotina”, conta Simone, 43, que tem cardápio hipercalórico por conta da modalidade, com sete refeições diárias, que incluem frutas, folha, proteína vegetal, feijão e carnes, entre outros.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo