Ciência comprova que implantes de silicone aumentam o risco de três doenças

Por Rodrigo Almeida

Um estudo do Centro de Câncer MD da Universidade do Texas, em Houston, analisou cerca de 100 mil mulheres que aplicaram implantes de silicone nos seios e chegou à conclusão que elas têm quatro vezes mais chances de desenvolver melanoma.

Os investigadores descobriram que as mulheres têm ainda quatro vezes e meia mais chances de sofreram morte fetal em uma eventual gravidez e também seis vezes mais risco de desenvolver artrite.

Esse é o estudo mais amplo já feito sobre o assunto e as descobertas, segundo a equipe da Universidade do Texas, são fundamentais para ajudar as mulheres a escolherem quais implantes são mais adequados.

De acordo com a pesquisa, as próteses de silicone são mais problemáticas e têm o dobro de possibilidade de causar complicações cirúrgicas, se comparadas com as próteses de solução salina.

Silicone o queridinho das mulheres

Nos Estados Unidos a Secretaria de Comidas e Drogas (FDA) informa que as próteses mais populares são as de silicone, em primeiro lugar, e as recheadas com solução salina aparecem como a segunda opção.

A maior parte das cirurgias é de implantes de silicone, pois algumas mulheres relatam que eles deixam os seios com um formato mais real. No estudo, apenas 20% das mulheres tinham próteses de solução salina.

Os dois implantes estão aprovados para mulheres de todas as idades que precisam fazer reconstrução mamária. Em vias de estética, a solução salina é aprovada para mulheres acima de 18 anos e os de silicone para mulheres maiores de 22 anos.

 

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo