As duas razões pelas quais as pessoas terminam um relacionamento mesmo se amando

Por Victória Bravo

Muitas pessoas quando terminam seus relacionamentos reconhecem que ainda amam a outra pessoa, mas ainda assim decidem não ficar juntos como um casal. Pode parecer contraditório, mas existem diversas razões para que cheguemos a esta conclusão.

De acordo com Ph.D. Aaron Ben-Zev, especialista em assuntos amorosos, existem dois motivos principais para aqueles que terminam mesmo quando o amor persiste.

Confira neste artigo traduzido da revista Psicology Today:

1. "Eu te amo, mas não o suficiente".

O amor romântico não é uma atitude de tudo ou nada, vem em diferentes graus. Alguns amores são bons o suficiente para ter uma aventura por algumas semanas ou meses, mas eles não são suficientes para manter o amor em longo prazo.

GIF Reprodução / BuzzFeed

Os principais argumentos para reconhecer esta situação são os seguintes:

"Eu gosto de outra pessoa".

"No passado, amei alguém com mais força do que você".

"Estou feliz com você em curto prazo (grande intensidade romântica), mas eu não vejo perspectivas de longo prazo (não existe muita profundidade romântica)."

"Somos amigos íntimos, mas não ótimos parceiros sexuais".

"Há grandes falhas em seu comportamento que me impedem de confiar em você e de me sentir calmo com você".

"Eu não posso te dar o amor que você merece", ou mais francamente, "Meus sentimentos em relação a você não são fortes o suficiente".

"Somos excelentes parceiros sexuais, mas não bons amigos".

As diferenças acima são geralmente associadas à afirmação “Eu te amo, mas não estou apaixonado por você”, que é outra afirmação que pôs fim a muitos casamentos e relacionamentos importantes. Aqui existe um certo grau de amor, mas esse grau não é suficiente, pelo menos não em comparação com outras opções disponíveis .

2. "Eu te amo, mas eu não posso viver com você".

Amar alguém nem sempre é suficiente para decidir morar com alguém. Viver juntos e estabelecer uma família juntos certamente requer amor, mas muito mais do que isso requer a habilidade de ajudar uns aos outros a crescer.

Algumas das razões mais comuns neste caso são:

"Você não pode me ajudar a crescer, porque você não consegue aflorar o melhor de mim".

"Eu não posso te ajudar a crescer, pelo contrário, estar comigo bloqueia seu crescimento".

"Não somos capazes de construir juntos uma vida próspera a longo prazo".

"Você não é um bom pai ou marido (embora você possa ser um grande amante)".

Neste grupo de razões, o grau de amor é suficiente para apoiar o amor duradouro, mas não para viver juntos. As pessoas às vezes preferem prosperar na vida acima do amor.

Aaron narra que o amor romântico nem sempre é tudo na vida, já que ambos podem entrar em conflito, cada um com uma prioridade diferente.

Ele descreve que embora o amor romântico seja extremamente importante para nossa felicidade e prosperidade, o amor não é uma condição necessária ou suficiente para uma vida feliz e próspera.

“Como resultado, o amor não é tudo na vida, embora muitas vezes seja uma parte central dele. Se, de fato, o amor não é tudo o que precisamos, então é razoável que algumas pessoas abandonem a pessoa que amam”, conclui.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo