Cientistas estão perto de encontrar uma cura para o vício em cocaína

Por Metro Jornal

Pesquisadores da Universidade de Chicago, nos EUA, encontraram um novo tipo de terapia genética capaz de curar a dependência em cocaína. A descoberta também funciona para proteger pacientes contra overdoses dessa droga.

Leia mais:
Zoológico de SP abre enquete para escolha de nomes de novas leoas
Vilão de Pantera Negra, Erik Killmonger vai ganhar minissérie nos quadrinhos

O estudo, divulgado no jornal The Guardian, realizou testes em ratos de laboratório, implantando células-tronco geneticamente modificadas para liberar enzimas que removem essa substância do organismo. Os animais que recebiam essa terapia deixavam de consumir cocaína, mas os outros morriam de overdose em 100% dos casos.

Em entrevista ao The Guardian, o professor Ming Xu, autor do estudo, disse que a terapia em questão é específica para a cocaína. "Em comparação com outras terapias gênicas, nossa abordagem é minimamente invasiva, de longo prazo, com baixa manutenção e acessível. É muito promissor", afirmou.

Ele tem esperança de que o tratamento em humanos seja aprovada em breve. Até porque a enzima das células-tronco pode ser liberada por 20 ou 30 anos no corpo. "Nós não observamos efeitos colaterais no momento, mas vamos estudá-los com cuidado", disse Xu.

O próximo passo agora é buscar o mesmo tipo de terapia genética que possa ser aplicada em outros vícios, como álcool e cigarro.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo