Cuidado exagerado na hora da brincadeira pode comprometer desenvolvimento

Por Metro Internacional

Para evitar acidentes e brigas na hora da brincadeira da criançada, muitos pais tendem a ser extremamente cuidadosos com seus filhos, interferindo, proibindo, limitando. Os motivos são vários e justificáveis. Dos perigos da vida nas grandes cidades a questões mais burocráticas como horários e rotinas. Mas especialistas advertem que quanto mais livre e solto, do ponto de vista psicológico, mais saudável seu filho será.

Médicos, psicólogos e pedagogos concordam que a brincadeira espontânea e sem o controle dos pais ajuda a evitar problemas emocionais que podem começar na infância. Depressão e ansiedade, por exemplo, podem ter origem no controle excessivo na hora da brincadeira.

“Decidir com quem, onde e quando brincar envolve tomar decisões, assumir riscos. Isso melhora a autoconfiança e trabalha a resiliência”, diz Jaume Bantulà, especialista em ciências da educação. Ele explica que muitas crianças são privadas desta experiência de aprendizagem, por causa da constante vigilância e superproteção dos pais.

O monitoramento constante das atividades infantis pode resultar nas crianças em uma falta de liberdade para brincar e explorar por elas mesmas, para desenvolver seus próprios interesses e aprender a tomar conta de sua vida e emoções.

A bióloga e educadora Katia Hueso, cofundadora de uma escola infantil ao ar livre na Espanha, assegura que as crianças que na infância dependem dos pais para tudo poderão ter dificuldades para resolver seus problemas na idade adulta.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo