No dia da cachaça, conheça museu da popular bebida brasileira

Por Lucas Morais - Metro Belo Horizonte

Na mineiridade de sabores, a cachaça carrega aromas, identidades e tradição. Entre fazendas e alambiques, a bebida se funde com a história brasileira. Há mais de quatro séculos, a “marvada” é apreciada pelos quatro cantos do país e influencia a cultura e a gastronomia. Em Salinas, na região Norte de Minas Gerais, um museu de mais de 13 mil m² faz uma viagem ao universo da bebida.

Museu da Cachaça Salinas Minas Gerais Fachada do Museu da Cachaça em Salinas / Divulgação

Com nove salas, o espaço retrata a importância da cachaça para a economia e a identidade de diversas regiões mineiras, além dos métodos artesanais de produção e a história do produto. “A principal atração é a Sala das Garrafas, que chama a atenção do público. São nove metros de altura com mais de 2,2 mil garrafas de 54 rótulos. O museu abre de quarta-feira a domingo e no final os visitantes podem apreciar a bebida ou comprar produtos. Todos eles têm o selo de garantia”, diz Cecília Sarmento, diretora do museu.

Outro espaço do museu é dedicado especialmente aos aromas da bebida. Através de calhas, os visitantes são atraídos pelo olfato e as sensações. No mesmo espaço, equipamentos históricos mostram como era a armazenada a cachaça: um alambique de cobre, datado de 1950, além de uma caixa de madeira usada no século 19 para envelhecer a bebida.

Leia mais:
Websérie fala sobre a colheita e a degustação da cachaça

De volta ao passado, a Sala dos Engenhos retrata um engenho de cana-de-açúcar inteiramente em madeira. Principal meio de transporte dos séculos passados, o carro de boi também tem seu espaço garantido. Por fim, há obras de pintores franceses, biblioteca, restaurante e brinquedoteca.

O Museu da Cachaça de Salinas fica na avenida Antônio Carlos, 1250. Mais informações sobre o espaço estão disponíveis na página do museu.

Museu da Cachaça Salinas Minas Gerais Engenho em madeira do século XIX / Divulgação

Circuito da cachaça

Além de Salinas, as cidades de Taiobeiras, Rubelita, Fruta de Leite e Indaiabira, responsáveis por produzir mais de 70 rótulos da bebida, fazem parte do Circuito da Cachaça. Conhecida mundialmente pelos sabores especiais, a região atrai milhares de turistas todos os anos. “Por conta do solo e do nosso clima típico do semiárido, a cana dá o diferencial ao produto final”, diz Cecília Sarmento.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo