Cachorro: comida em excesso nem sempre é sinal de amor

Por Metro Internacional

Travis Brorsen, apresentador do programa “My Big, Fat Pet Makeover” (em tradução livre “O Recomeço De Meu Pet Grande e Gordo”) do canal Animal Planet nos EUA, compartilha algumas dicas para cuidar melhor dos nossos bichinhos. Segundo ele, é importante estar atento a alguns detalhes.

Animais de estimação que estão desconfortáveis com o próprio equilíbrio são, geralmente, medrosos e, com certeza, são vistos pelos seus pares como anormais – o que irá fazer com que cachorros, por exemplo, reajam de acordo com a linguagem corporal uns do outros.

Para descobrir se seu animalzinho precisa de ajuda, existe um teste muito fácil de se fazer. O truque é passar a mão na lateral do bicho ao longo da caixa torácica. O ideal é sentir que as costelas existem, mas sem estarem à mostra. A maioria dos cães e gatos tem, naturalmente, uma silhueta em ampulheta. É importante também que os donos façam exames frequentes no veterinário.

Travis ‘Animais não sentem o menor remorso por tirar proveito da gente’ diz Travis

Filhotes geralmente podem ser alimentados mais de uma vez por dia, porque eles brincam bastante e acabam se exercitando muito. Conforme vão ficando mais velhos, eles acabam diminuindo o ritmo da diversão, mas alguns donos continuam alimentando da mesma forma. Nessas horas, é importante monitorar a dieta.

Cuidado para não impor emoções humanas aos animais de estimação.  Quando um cachorro ou um gato está implorando por comida, eles não estão dizendo “me dê um pouquinho mais”. Eles estão miando ou latindo. Esses são animais com um pouco mais de energia e nós, muitas vezes, os ensinamos que, se eles pedirem, nós daremos. Jogue a bola, leve ele para passear. Um cachorro cansado não pede comida.

Guloseimas de baixo teor calórico ainda podem ajudar: cães adoram vagem, maçã, brócolis e pepino.

 

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo