Refluxo é sério, mas pode ser controlado; veja os cuidados

Por Metro Jornal

Queimação, azia, dor ao engolir, regurgitação e ardor na garganta e boca são os principais sintomas da doença do refluxo em adultos. Já nas crianças a doença pode causar sono agitado, vômitos constantes, dificuldade para mamar, irritação e choro excessivo, rouquidão – a laringe inflama devido à acidez do estômago – , dificuldade para ganhar peso e inflamações frequentes nos ouvidos.

De acordo com Evelyn Teixeira, nutricionista do Hospital Dom Alvarenga, a alimentação adequada é recomendável porque evita que o refluxo aconteça, poupando que o estômago produza suco gástrico em excesso. “Para quem tem refluxo, deve-se aumentar a ingestão de fibras, apoiar bactérias saudáveis com alimentos ricos em probióticos, além da proteína de alta qualidade que também ajuda a proteger o trato digestivo. Esses nutrientes reduzem fatores de risco como inflamação, obesidade e complicações ligadas a doenças crônicas graves”, explica a nutricionista.

“Quando for comer, evite alimentos pesados ou gordurosos e nunca faça isso com roupas apertadas demais. Além disso, como qualquer tabela nutricional, é mais viável comer em pequenas porções e com mais frequência do que o inverso”, alerta Evelyn.

Confira abaixo algumas dicas para evitar o refluxo:

  • Coma quantidades menores de comida a cada 2 ou 3 horas
  • Aumente o consumo de frutas, legumes e produtos integrais, ricos em fibras
  • Prefira carnes magras, peixes, leite e derivados desnatados
  • Não beba líquidos durante as refeições
  • Não coma de 2 a 3 horas antes de se deitar
  • Evite deitar ou fazer exercícios logo após as refeições

Saiba o que você NÃO deve ingerir:

  • Frituras, carnes vermelhas, salsicha, linguiça e bacon
  • Café, chás e chocolate
  • Frutas cítricas
  • Bebidas alcoólicas e gaseificadas
  • Pimenta
  • Carboidratos simples: farinha, macarrão e pão
  • Cigarros
  • Chicletes

 

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo