Mulheres chefs se destacam em principal premiação de culinária dos EUA

Por Reuters

Gabrielle Hamilton, que administra o Prune, um pequeno bistrô norte-americano de Nova York, e outras mulheres chefs ficaram com os principais prêmios da Fundação James Beard, as maiores honrarias da indústria de restaurante dos Estados Unidos, na segunda-feira.

O tema escolhido para a cerimônia deste ano foi “Ascensão”, para refletir as questões sociais e ambientais que chefs e outros profissionais do setor de restaurantes apoiam, incluindo o movimento das redes sociais #MeToo.

O #MeToo vem destacando casos de má conduta sexual nos negócios, no esporte, no entretenimento e na política e exigindo mais respeito e representatividade para as mulheres.

Acusações de assédio ou agressão feitas por mulheres do setor de restaurantes obrigaram vários chefs célebres, como Mario Batali e John Besh, a se distanciarem dos negócios que fundaram.

Espectadores e participantes do evento deste ano, realizado em Chicago, usaram broches com dizeres sobre o que a Fundação James Beard defende, como “igualdade” e “integridade”.

Gabrielle, que também escreveu um livro de memórias de grande vendagem, abriu o Prune no bairro de East Village em 1999. O bistrô criou uma clientela fiel, e os críticos o elogiam por seus pratos familiares com influências europeias e norte-americanas.

Gabrielle é somente a sexta mulher a conquistar a principal honraria desde que a fundação criou os prêmios para chefs, restaurantes e críticos de culinária em 1990.

Mas a maré pode estar mudando, já que o prêmio foi concedido a uma mulher pela terceira vez em cinco anos, e mulheres chefs ficaram com 4 dos 10 prêmios concedidos a chefs regionais.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo