Morre último rinoceronte-branco do norte macho do mundo

Por Reuters

O último rinoceronte-branco do norte macho do mundo morreu, informou a entidade do Quênia responsável por cuidar do animal, apenas duas fêmeas da subespécie ainda estão vivas em todo o planeta, mas cientistas têm esperança de salvar a família da extinção.

A entidade Ol Pejeta Conservancy disse em um comunicado que decidiu, juntamente com autoridades responsáveis pela vida selvagem e antigos cuidadores do animal, submeter o rinoceronte Sudan, de 45 anos, a eutanásia na última segunda-feira, 19, devido à rápida deterioração do estado de saúde do macho.

Sudan foi submetido a tratamento devido complicações ligadas à idade e afetaram músculos e ossos da vítima, além de provocaram grandes feridas na pele.

No final de fevereiro e início de março o rinoceronte passou uma quinzena deitado devido ao desconforto causado por uma ferida profunda em sua pata direita traseira.

Saúde

"Seu estado piorou significativamente nas últimas 24 horas, ele não conseguia ficar em pé e estava sofrendo muito", disse a Ol Pejeta. "A equipe veterinária do Zoológico Dver Kralove, da Ol Pejeta e do Serviço de Vida Selvagem do Quênia tomaram a decisão de lhe submeter a eutanásia".

Sudan morou no Zoológico Dver Kralove, na República Tcheca, antes de ser transportado para a Ol Pejeta Conservancy, localizada cerca de 250 quilômetros ao norte de Nairóbi, onde viveu com as duas últimas fêmeas da mesma espécie – Najin, de 27 anos, e Fatu, de 17 anos.

Depois de todas as tentativas para fazê-lo acasalar naturalmente terem fracassado, ambientalistas colocaram Sudan no aplicativo de encontros Tinder, no ano passado, na esperança de arrecadar 9 milhões de dólares para um tratamento de fertilidade.

Reprodução

A Ol Pejeta disse na última segunda-feira que coletou material genético de Sudan, para poder usar futuramente, em tentativas de reprodução de rinocerontes-branco do norte.
Cientistas também procuram maneiras de fazer uma fertilização in vitro, de acordo com a entidade.

"A única esperança para a preservação desta subespécie agora está no desenvolvimento de técnicas de fertilização in vitro com óvulos das duas fêmeas remanescentes, sêmen armazenado de rinocerontes-brancos do norte machos e rinocerontes-brancas do sul como barrigas de aluguel", informou.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo