Chama das Olimpíadas de 2020 vira parte de Museu Olímpico no Japão

Por Metro Jornal com Agência Brasil

Em 'stand-by' até o início dos Jogos Olímpicos de 2020, postergados para o ano que vem, a chama olímpica virou peça de exibição em Tóquio, no Japão. O fogo, que será carregado até acender a pira olímpica na primeira noite dos jogos, está conservada no Museu Olímpico Japonês.

Nesta segunda-feira (31), uma discreta cerimônia com autoridades locais inaugurou a exibição, que começou na terça-feira (1). Os dirigentes do evento afirmaram, na inauguração, que os Jogos do próximo ano serão um símbolo de esperança para o mundo, enquanto se recupera da pandemia do novo coronavírus.

Para evitar aglomeração de visitantes, haverá um sistema de reserva com data e hora marcadas. O fogo olímpico ficará em exibição até 1º de novembro. Os Jogos começarão no dia 23 de julho de 2021.

QUER RECEBER A EDIÇÃO DIGITAL DO METRO JORNAL TODAS AS MANHÃS POR E-MAIL? É DE GRAÇA! BASTA SE INSCREVER AQUI.

O Museu Olímpico Japonês, localizado próximo ao Estádio Nacional, construído especialmente para os Jogos, reprogramados para 2021 por causa da pandemia. A chama foi vista pela última vez em Fukushima, depois que o revezamento da tocha foi cancelado após sua chegada da Grécia.

“No próximo ano, esta chama será carregada por cerca de 10.000 pessoas e acenderá a pira olímpica”, disse o presidente da Tóquio 2020, Yoshiro Mori.

Os organizadores não anunciaram detalhes do revezamento da tocha. O plano original de 121 dias inclui a visita por 47 prefeituras japonesas. “Suponho que os atletas que pretendem participar das Olimpíadas e Paralimpíadas estão treinando duro todos os dias e com grande ansiedade [devido à pandemia de covid-19]”, disse o presidente do Comitê Olímpico Japonês, Yasuhiro Yamashita, que recebeu a chama de Yoshiro Mori.

“Estou confiante de que esta chama será um suporte moral para esses atletas", afirmou Yamashita.

Loading...
Revisa el siguiente artículo