Japão afirma que Olimpíada acontecerá mesmo sem vacina contra coronavírus

Por Metro Jornal com Estadão Conteúdo

Toshiro Muto, chefe do Comitê Organizador da Olimpíada no Japão, descartou novo adiamento dos jogos, mesmo que a pandemia não dê sinais de acabar.

"Não sei qual será o estado das infecções por novo coronavírus no próximo verão (no hemisfério norte), mas as chances de que isso seja algo do passado não são altas. Em vez disso, o importante é realizar as Olimpíadas para pessoas que precisam conviver com a covid-19", disse o dirigente japonês ao jornal britânico Financial Times.
Leia mais:
Prefeito em Santa Catarina sugere uso de ozônio ‘via retal’ contra covid-19
Casa do executivo franco-brasileiro Carlos Ghosn é destruída em explosões no Líbano

Os Jogos Olímpicos de Tóquio foram adiados deste ano para 2021 e tem cerimônia de abertura agendada para o próximo dia 23 de julho.

Com o adiamento, os custos para a realização dos Jogos Olímpicos aumentaram, mas o objetivo do Comitê Organizador é cortar o que for possível. Muto espera ter um novo orçamento em vigor até outubro e disse que pode ser difícil conseguir novos patrocinadores no clima atual, ainda cercado de incertezas.

"Numa época de infecções por covid-19, ter toda a pompa e folia das Olimpíadas não teria muita simpatia das pessoas em todo o mundo que experimentaram esse vírus. Antes, queremos algo simples, mas inspirador. Este é o mês em que planejamos nosso orçamento para o próximo ano. Não temos ideia de quanto nos pagarão. Reconheço que há uma série de opiniões entre os patrocinadores. Para alguns deles, seus resultados foram atingidos pelo coronavírus, mas não é necessariamente o caso de todos terem sofrido um impacto negativo. Existem empresas que também ganharam", completou Muto.

Loading...
Revisa el siguiente artículo