Fórmula 1 começa a temporada neste domingo com corrida na Áustria

Por Fernando Valeika de Barros - Especial para o Metro Jornal

Domingo, às 10h10, finalmente os carros da Fórmula 1 se alinharão para o primeiro GP do ano, na Áustria, para a temporada mais tumultuada da história. Cento e dois dias depois de dar o maior cavalo de pau da sua história, com o cancelamento do GP da Austrália e o adiamento ou a anulação de uma dezena de etapas, a F-1 ensaia seu recomeço.

Tudo foi repentinamente interrompido em março, horas antes dos primeiros treinos oficiais da corrida inaugural de 2020, que seria na Austrália. A notícia de que um mecânico da McLaren havia sido diagnosticado com o novo coronavírus interrompeu as atividades.

Mas, pelo menos por enquanto, no circuito, esqueça o ambiente glamouroso que a F-1 tinha até a sua derradeira bandeirada. Esse ano tudo será bem diferente. Em vez de paddocks e arquibancadas lotados e clima efervescente, as oito provas confirmadas até agora serão realizadas com portões fechados, sem público, com equipes reduzidas a um contingente mínimo.

Para diminuir a circulação nos boxes ao estritamente necessário, muitas funções serão realizadas fora dos autódromos, a distância. Para minimizar os deslocamentos, outras novidades serão etapas duplas – como esta do circuito de Spielberg, que na semana que vem receberá corrida novamente.

A F-1 espera poder organizar outros GPs, inclusive fora da Europa. Por enquanto, Bahrein e Abu Dhabi são as que têm mais chances. Brasil, México e EUA dependerão das suas situações sanitária.

Hamilton é voz forte

Se antes da interrupção, o hexacampeão Lewis Hamilton e sua Mercedes eram os favoritos para o título, neste ponto, continua tudo quase na mesma. Quase. Mudou a cor do carro: agora o preto é a cor predominante na pintura, substituindo o prateado.

A medida faz parte da campanha antirracista que a categoria adotou, além de outras causas que defendam a diversidade para grupos minoritários. “We Race as One” (“Nós corremos como um”, em português) é o nome da ação, que promete ser a cara da Fórmula 1 nesta retomada.

Um adesivo com as cores do arco-íris estarão nos carros. Segundo a categoria, ele simboliza uma maneira de aproximar diferentes comunidades. A resposta só aconteceu por conta da cobrança pública do piloto inglês durante os protestos após o assassinato de George Floyd, nos EUA.

Bandeira quadriculada de volta

Durou pouco o sistema eletrônico que deveria substituir a tradicional bandeira quadriculada, agitada para marcar o fim dos Grandes Prêmios. Depois de uma falha técnica, que encurtou o GP do Japão em uma volta, o antigo sistema retorna já neste final de semana.

Marca de Barrichello em perigo

Com 322 largadas, o brasileiro Rubens Barrichello deverá perder o seu recorde. Quem está mais próximo de arrebatá-lo é o finlandês Kimi Raikkonen, que começará a temporada com 312 GPs no currículo.

Como será a Fórmula 1 'pós-covid'

Público
Como era: 150 mil torcedores, em média
Como ficará: 0 torcedores

Paddock
Como era: cerca de 3 mil pessoas
Como ficará: sem convidados

Equipes
Como era: entre 3 mil e 5 mil pessoas
Como ficará: 1,2 mil pessoas (máximo de 80 por time)

Imprensa
Como era: pelo menos 250 pessoas
Como ficará: 60 pessoas

O calendário provisório da Fórmula 1 em 2020

A F1 reorganiza a temporada 2020 depois de uma maré de corridas adiadas ou canceladas. Oito GPs já foram confirmados. A expectativa é que mais corridas sejam agendadas até dezembro.

GP da Áustria I
Spielberg (desde 1970)
5 de julho, às 10h10, 71 voltas de 4,3 km (306,4 km)

GP da Áustria II
Spielberg (desde 1970)
12 de julho, às 10h10, 71 voltas de 4,3 km (306,4 km)

GP da Hungria
Hungaroring (desde 1986)
19 de julho, às 10h10, 70 voltas de 4,3 km (306,6 km)

GP da Grã-Bretanha I
Silverstone (desde 1950)
2 de agosto, às 11h10, 52 voltas de 5,8 km (306,1 km)

GP da Grã-Bretanha II
Silverstone (desde 1950)
9 de agosto, às 11h10, 52 voltas de 5,8 km (306,1 km)

GP da Espanha
Montmeló (desde 1991)
16 de agosto, às 10h10, 66 voltas de 4,6 km (307,1 km)

GP da Bélgica
Spa-Francorchamps (desde 1950)
30 de agosto, às 10h10, 44 voltas de 7,0 km (308,0 km)

GP da Itália
Monza (desde 1950)
6 de setembro, às 10h10, 53 voltas de 5,7 km (306,7 km)

GP do Brasil de Fórmula 1 - 2019 Cenas como essa, no GP do Brasil do ano passado, vão demorar a acontecer / Will Taylor-Medhurst/Getty Images
Loading...
Revisa el siguiente artículo