Estádio do Maracanã completa 70 anos

Por Metro Jornal com Band

Dizem que o futebol é uma caixinha de surpresas, mas se tem algo que o Maracanã ensinou em 70 anos, completados na terça-feira (16), é que a emoção é uma constante no esporte. Foi na arquibancada do estádio que muitos comemoraram e também conheceram a decepção. Em 1950, o uruguaio Ghiggia silenciou as quase 200 mil vozes que lotavam o estádio na final da Copa do Mundo daquele ano. Foi justamente para o torneio que o estádio, que tem como nome oficial Mário Filho, foi construído.

O fantasma do episódio, que ficou conhecido como “Maracanazo”, continua assombrando o futebol brasileiro. Mas as glórias conquistadas nos gramados do Maracanã ajudaram a espantar esse pesadelo. A ‘’vingança” contra os uruguaios veio em 1989 quando o Brasil conquistou a Copa América em final também disputada no estádio do Rio de Janeiro.

Cada um dos craques que desfilaram pelo Maraca tem uma história para chamar de sua. E foram muitos. Com 333 gols marcados, Zico é o maior artilheiro da história do estádio. Ídolo do Flamengo, o Galinho se emociona ao lembrar de sua trajetória: “Fico muito agradecido, é um orgulho imenso estar fazer parte do Maracanã. Então, só posso agradecer a Deus por isso.”

E o estádio não foi só palco para os quatro grandes do Rio construírem suas memórias. Foi lá, por exemplo, que Pelé fez o milésimo gol, em 1969, em uma cobrança de pênalti contra o Vasco no jogo vencido pelo Santos por 2 a 1.

Impossível não citar também a “Invasão Corinthiana” quando cerca de 70 mil torcedores do Timão tomaram as arquibancadas do Maracanã em 1976 para acompanhar o jogo com o Fluminense.

O estádio que já recebeu 199 mil pessoas, hoje, após diversas reformas, tem capacidade para pouco mais de 78 mil pagantes. Nada que impeça a mistura de classes, sentimentos e cores.

Loading...
Revisa el siguiente artículo