Olimpíadas de 2021 serão menores e mais discretas, diz Comitê

Por Metro Jornal

Adiadas por conta da pandemia de coronavírus, as próximas Olimpíadas também sofrerão um processo de "simplificação". Quem explica é o chefe do Comitê Executivo das Olimpíadas, Toshiro Muto, em fala à imprensa nesta quarta-feira (10).

A 32ª edição das Olimpíadas estava prevista para cocorrer entre 24 de julho e 9 de agosto de 2020, mas agora está prevista para 23 de julho até 8 de agosto de 2021.

Após a mudança no calendário, o comitê analisa cerca de 200 propostas de redução de custos e simplificação do evento, que tradicionalmente atrai multidões e apresenta grandes espetáculos em suas cerimônias de abertura e encerramento.

LEIA MAIS:
Plano São Paulo: Regiões na fase 3 retrocedem; veja como será próxima quinzena da reabertura
‘Deputada que prefere engraxar botas dos militares’, diz Doria sobre Zambelli

Muto, CEO dos Jogos Olímpicos, também informou que está em análise a possibilidade de restringir o número de espectadores. Medidas mais rígidas foram implantadas em eventos esportivos pelo mundo, muitos ocorrendo sem torcedores presenciais, apenas com transmissão ao vivo.

O chefe executivo ressalta que a prioridade, no momento, é evitar o total cancelamento dos jogos.

"Não é justo discutir especulações baseadas em um cenário hipotético e, atualmente, a nossa direção é de não considerar um cancelamento total dos Jogos", diz. "Para fazer a simplificação, precisamos ouvir as federações internacionais, comitês nacionais, emissoras de televisão e parceiros e eles precisam agir em uníssono para garantir que isso ocorra".

Loading...
Revisa el siguiente artículo