Atletas se juntam à onda de indignação pela morte de George Floyd nos EUA

Por Metro Jornal

Após a morte de George Floyd, um homem negro de 46 anos que foi asfixiado por um policial branco em Mineápolis, no Minnesota, uma série de protestos tomou os Estados Unidos. O assassinato, evidentemente, gerou revolta também no mundo do esporte.  Atletas de diferentes esportes têm se manifestado contra o racismo. As tenistas Serena Williams e Coco Gauff, e o ex-astro do basquete Michael Jordan foram algumas das personalidades que posicionaram.

No futebol, o atacante Marcus Thuram fez dois gols na vitória  de 4 a 1 do Borussia Mönchengladbach sobre o Union Berlin pelo Campeonao Alemão, domingo. O francês não comemorou o primeiro gol: se ajoelhou e baixou a cabeça, em homenagem a George Floyd. Marcus é filho de Lilian Thuram, campeão mundial em 1998 com a França e ativista contra a discriminação racial.

Por aqui, clubes e jogadores também protestaram nas redes sociais. Perfis oficiais dos times lançaram uma corrente relembrando jogadores negros que fizeram história vestindo a camisa dos clubes. As postagens sempre são acompanhadas da #VidasNegrasImportam.

Mas, entre os grandes nomes do futebol, ainda tem quem prefira o silêncio. Neymar foi comparado ao colega de PSG, Kylian Mbappé, que já se posicionou. O brasileiro mais seguido do mundo, porém, preferiu postar ontem uma foto sua em um terno rosa.

Em direção oposta, o hexacampeão Lewis Hamilton cobrou posicionamento dos integrantes da Fórmula 1 e deu a entender que exista racismo na categoria: “Vejo aqueles que ficam calados diante da injustiça. Não há sinal de ninguém no meu esporte que, é claro, é dominado por brancos”. Depois, alguns pilotos também se manifestaram.

FRASES

Michael Jordan, basquete

“Devemos continuar as manifestações pacíficas contra a injustiça e pedir o reconhecimento dos responsáveis. Estou profundamente triste, em sofrimento e totalmente revoltado”

Lebron James, basquete

“Você entende agora? Ou sua visão ainda está embaçada? Acorde!”

Steve Nash, basquete

“Este é um problema dos brancos. Como nós, caucasianos, vamos criar igualdade? Leia. Ponha-se no lugar do outro. Organize. Sacrifique. Mude. Apoie. Vote! Isto é o mínimo a se fazer para reparações”

Cori ‘Coco’ Gauff, tênis

“Será que eu vou ser a próxima?”

Gabriel, do Corinthians

“A luta não é brancos contra negros ou de negros contra brancos, é de todo mundo contra racistas”

 

 

Loading...
Revisa el siguiente artículo