Gol mil de Pelé, marcado de pênalti contra o Vasco, no Maracanã, completa 50 anos

Por Metro Jornal

Maracanã, 32 minutos do segundo tempo e 1 a 1 no placar da partida entre Vasco e Santos. Clodoaldo lança Pelé, que entra na área entre os defensores do Vasco e cai após dominar a bola. Imediatamente o árbitro Manuel Amaro de Lima aponta a marca da cal: pênalti para o Santos. A história estava prestes a ser escrita.

Os fotógrafos se amontoavam atrás do gol defendido pelo argentino Andrada. As cerca de 65 mil pessoas que lotavam as arquibancadas do Maracanã entoaram em uníssono: “Pelé, Pelé, Pelé!”, inclusive os vascaínos. Ver o Rei do Futebol marcar o milésimo gol parecia muito mais histórico do que uma vitória do próprio time.

Pelé conta que a perna tremia enquanto se preparava para a cobrança. “E se eu chutasse na trave, se o goleiro pegasse. Eu não podia errar”, disse. O relato está no livro “Segundo Tempo – De Ídolo a Mito”, de Odir Cunha.

Andrada era disparado o mais nervoso. Ele não queria ficar marcado na história como o goleiro que sofreu o gol mil de Pelé, mas não teve jeito. O Rei do Futebol se preparou, tomou pouca distância e bateu de chapa no canto: Pelé acabava de marcar o seu milésimo gol – terminou a carreira com 1.281.

Repórteres invadiram o campo enquanto Andrada dava socos no chão. Carregado, Pelé foi levado ao centro do campo para comemorar com os companheiros do Santos enquanto pedia mais atenção às crianças carentes do país. Isso aconteceu há exatos 50 anos. Pelé alcançava mais uma das diversas marcas que o levaram a ser eleito o atleta do século 20.

Assista ao milésimo gol de Pelé:

Preferiram o Pelé

No mesmo dia do milésimo gol do Pelé, os astronautas norte-americanos Charles Conrad e Allan Bean aterrizavam novamente na Lua pela missão Apollo 12: mais pessoas acompanharam o gol do que a segunda viagem ao espaço.

Podia ser diferente

A história poderia ter sido outra. Pelé marcou o gol número 999 contra o Botafogo-PB também de pênalti. Ele não queria bater, mas foi convencido pelos colegas do Santos, principalmente por Carlos Alberto Torres.

Andrada

O arqueiro argentino Andrada, que levou o milésimo gol de Pelé, morreu no dia 4 de setembro deste ano. Ele foi ídolo do Rosário Central, onde jogou entre 1960 e 1969, antes de ser contratado pelo Vasco. O goleiro atuou pela equipe carioca de 1969 a 1975 e conquistou dois títulos: o Campeonato Carioca de 1970 e Campeonato Brasileiro de 1974.

Pelé - Especial mil gols Domicio Pinheiro

No museu do futebol

O Museu do Futebol (praça Charles Miller, s/nº, Pacaembu) abre hoje uma exposição dedicada ao milésimo gol de Pelé. Os visitantes poderão acompanhar cerca de 100 charges de JC Lobo, cartunista da cidade de Santos. Além disso, a mostra, que segue até 1º de dezembro, terá a exibição de documentários e uma réplica da camisa 10 utilizada no dia do gol. (De terça a domingo, das 9h às 17h. Ingressos: R$ 20).

E o primeiro gol?

O primeiro encontro de Pelé com as redes, em 7 de setembro de 1956, teve como palco o estádio Américo Guazelli, em Santo André, em jogo do Corinthians local contra o Santos. Era a estreia de Pelé no profissional. A súmula da partida estará em uma exposição no Museu de Santo André, que ainda não tem data para iniciar. A mostra também vai contar com outros documentos curiosos e reportagens de jornais. Pelé marcou seu primeiro gol aos 34 minutos do segundo tempo. O Santos venceu o adversário por 7 a 1.

Pelé - Especial mil gols Divulgação

'Me sinto bem'

Aos 79 anos, Pelé já passou por alguns apuros relacionados ao seu frágil estado de saúde. Em entrevista ao portal Globoesporte.com, o Rei do Futebol disse que está se sentindo bem, mas com ressalvas. “Mesmo que eu tenha um pouco de doença, me sinto bem. Mas é como se Deus estivesse me pedindo a conta”, afirmou. Em abril deste ano ele passou por duas internações, uma em Paris e outra em São Paulo. As recorrentes infecções urinárias e a formação de cálculos estão entre as principais ameaças à saúde de Pelé. Outro ponto dificulta suas recuperações: ele fez uma cirurgia para retirar o rim direito em 1977, logo depois de se aposentar. Fato é que os brasileiros torcem para que Pelé consiga driblar todos os seus problemas de saúde.

Pelé - Especial mil gols Marcelo D. Sants/Folhapress
Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo