Boxeador morre por danos cerebrais sofridos durante luta nos EUA

Por Metro Jornal

O boxeador russo Maxim Dadashov faleceu quatro dias após uma luta encerrada em nocaute técnico, disputada em Maryland, EUA. O lutador de 28 anos desistiu após uma sequência de golpes de seu oponente, Subriel Matias, que fez seu técnico ter de convencê-lo a jogar a toalha.

LEIA MAIS:
Tenista Bia Haddad pega suspensão provisória por suspeita de doping
Vadão não é mais o técnico da Seleção feminina de futebol

A luta durou onze rounds até Buddy McGirt, treinador de Dadashov, pedir ao boxeador para encerrar a disputa. "Eu vou encerrar, Max. Você está apanhando demais", disse. Ao receber sinal negativo do lutador, insistiu: "Por favor, Max, me deixe fazer isso. Se eu não fizer, o árbitro vai fazer".

Em seguida, McGirt ordenou aos médicos que a luta acabasse ali. Para deixar o ringue, Dadashev precisou de ajuda, e acabou sofrendo uma queda e vomitando no caminho para o vestuário. O lutador foi imediatamente encaminhado ao hospital numa ambulância, e, ao chegar, foi submetido a uma neurocirurgia de emergência. Maxim havia sofrido um hematoma subdural – um acúmulo de sangue no cérebro.

Um pedaço de osso craniano do russo foi removido para aliviar a pressão interna do cérebro. Ele também entrou em coma induzido, para proporcionar tempo até que seu cérebro desinchasse. No entanto, não foi o suficiente.

dadashov matias Dadashov e Subriel Matias, seu oponente, em foto pré-luta / Reprodução/Top Rank

O peso médio começou a treinar aos 10 anos, na Rússia, e se mudou para os Estados Unidos para entrar para a liga profissional. Ele deixa sua esposa e filhos.

Em entrevista ao canal ESPN, seu treinador comentou o caso: "Ele parecia bem, estava preparado, mas é o esporte no qual estamos", desabafou. "É preciso apenas um soco [para acontecer algo]".

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo