Botafogo de Ribeirão Preto inaugura Arena e apresenta novo 'modelo de negócios'

Por Metro Jornal

Fundado em 1918, o Botafogo de Ribeirão Preto dá um novo passo em sua história neste sábado (29), com a inauguração oficial de sua nova arena, no Estádio Santa Cruz. E o clube trata o momento como um divisor de águas para o Tricolor, que sonha alto.

O time da casa recebe o Corinthians para amistoso e inaugura seu mais novo setor, modernizado com assentos e a chegada de bares, lounge, camarotes e suítes corporativas.

O novo projeto é um marco do Botafogo SA, uma empresa gerida por Adalberto Baptista e Gustavo Vieira de Oliveira, com suas experiências em clubes como São Paulo e Santos, e que propõem novo modelo de zeladoria de uma equipe de futebol. “É uma gestão profissional onde a política do clube não interfere à gestão da empresa”, explica Adalberto Baptista, presidente do Conselho de Administração.

No caso do Tricolor do interior, a sociedade é dividida entre pessoas físicas e jurídicas, com o capital investido dividido em ações. “O modelo montado aqui não tem paradigma. É um caminho inevitável, já que os clubes na forma de associação vão acabar ficando para trás, muito por causa da política interna. Outros projetos de clube-empresas foram sugeridos pelos clubes, mas o nosso é diferente, gerado de fora para dentro, como um modelo de empresa que o Botafogo aderiu ao projeto”, explica.

Estreando na Série B do Campeonato Brasileiro esse ano, com oito rodadas o Botafogo está em segundo lugar, e o clube acredita em um prazo de três anos para alcançar a Série A – mas tudo bem se essa ascensão vier antes.

Arena Eurobike As arquibancadas serão usadas também para o público curtir shows, como o do grupo Abba, que inaugurou a atração na cidade no mês passado / Divulgação/Botafogo SA

Red Bull e Bragantino

O estado de São Paulo tem o mais novo clube-empresa do Brasil, com a união de Red Bull e o Bragantino, em abril. Os clubes disputavam a primeira divisão do Campeonato Paulista e a equipe comandada pela empresa austríaca passou a gerir o setor de futebol do time paulista logo ao término do torneio.

Com essa união, o agora Red Bull Bragantino montou um time forte, também sonhando com a Série A do Brasileiro em 2020. O projeto tem ido bem: o time lidera a Série B, com 19 pontos, três a frente do Botafogo.

“Estamos na vanguarda do futebol brasileiro. Em pouco tempo, o Bragantino será o quinto maior clube do estado de São Paulo”, disse Marquinho Chedid, presidente do Bragantino.

Clubes-empresa no país

O projeto de clubes-empresa no Brasil ainda engatinha e as leis mudaram muito principalmente ao longo das duas últimas décadas. Em 1994, a Lei Zico exigia que todos os clubes se transformassem em empresa, mas o projeto nunca deu certo e caiu com o passar dos anos. Naquela época, o pioneiro foi o União São João de Araras – o clube fechou as portas em 2015. Alguns times tentaram ou ainda são geridos no modelo empresarial, cerca de 20 deles, como São Caetano, Audax, Ferroviária, Americana, Operário, entre outros.


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo