Liga das Nações: Cristiano Ronaldo contra a nova Laranja-Mecânica

Em um jogo definido por falhas individuais, a Holanda vence a Inglaterra por 3 a 1, de virada. Domingo vai encarar Portugal, pelo título da Liga das Nações  

Por Fernando Valeika de Barros, especial para o Metro Jornal

Sensação da fase de grupos da Liga das Nações, depois de eliminar a Alemanha e a França, a Holanda derrubou mais um campeão mundial.  Desta vez, a vítima da nova encarnação da Laranja-Mecânica foi a Inglaterra. Os holandeses viraram o jogo é venceram por 3 a 1, na prorrogação. "Portugal e Cristiano Ronaldo já demonstraram que têm muita qualidade", disse o holandês De Jong, logo após o jogo. "Promete ser uma final difícil e bem jogada".

Animada por sua fanática torcida, que veio em peso para Portugal, a Inglaterra começou a partida dando pinta de que seria a adversária dos portugueses,  no domingo que vem, na Cidade do Porto, às 3h45 da tarde, pelo horário de Brasília.

Tudo por causa de uma bobeira do zagueiro holandês, De Ligt. Desatento, ele chegou atrasado em uma bola recuada por De Roon, seu companheiro — e derrubou Rashford. Pênalti, claro  Na cobrança, o próprio Rashford bateu, bem colocado, sem chances para o goleiro Cilessen.

Em desvantagem no marcador, os holandeses começaram o segundo tempo ligados. Com mais espaços, as oportunidades que faltaram no primeiro tempo começaram a aparecer.

Até que o mesmo De Ligt, que tinha dado o gol de presente para a Inglaterra, resolveu subir ao ataque, em um escanteio. Mesmo cercado por Walker e Stones, ele subiu mais alto, na primeira trave, e mandou a bola para a redes, de cabeça.

No final do jogo, com o jogo lá e cá,  em alta tensão, os árbitros do Var trabalharam dobrado. Aos 37 minutos da etapa final, a Inglaterra fez um gol – anulado por impedimento de Lingard. Segundos depois, novo suspense, com uma suposta mão dentro da área de Chilwell, da Inglaterra. Para sorte dele, as câmeras atestaram que a bola bateu nas suas costas.

Na prorrogação, mais duas grandes falhas definiram a sorte da partida. Aos 7 minutos da prorrogação, foi a vez de o zagueiro Stones, da Inglaterra, fazer bobagem. Ele se atrapalhou com o recuo de Macguire e não viu a chegada de Depay. O golpe de misericórdia holandês veio quando os ingleses tentavam o milagre. Barkley deu um presente para Promes, que agradeceu e liquidou a fatura, para decepção dos ingleses. "Nossa pressão fez os ingleses cometerem erros", disse o técnico holandês Ronald Koeman.

Depois de 30 anos, quando conquistou a Eurocopa, a seleção da camisa laranja pode voltar a fazer história no futebol.


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo