Doria e Covas questionam mudança do GP de F1 para o Rio de Janeiro: 'há contrato em vigor'

Por Metro Jornal com BandNews FM

A Prefeitura de São Paulo e o Governo do Estado divulgaram uma nota conjunta na manhã desta quinta-feira (9) com esclarecimentos sobre a continuidade de São Paulo como cidade parte do calendário do torneio de Formula 1, a principal categoria do automobilismo. Na quarta (8), o presidente Jair Bolsonaro divulgou nas redes sociais que o Grande Prêmio do Brasil passaria a ser disputado em um novo autódromo no Rio de Janeiro a partir de 2020.

Na nota, os órgãos afirmam que existe um contrato em vigor com a Formula 1, válido até dezembro de 2020. "Desde novembro de 2018, a Prefeitura de São Paulo atua para a renovação do contrato do GP Brasil de F1 na cidade de São Paulo, a partir de 2021. Há convicção de que o bom entendimento vai prevalecer", diz o texto, que reforça desconhecer "qualquer obstáculo" que impeça a continuidade do evento no autódromo de Interlagos, zona sul da capital paulista.

Veja também:
Polícia Civil investiga ex-funcionários de banco acusados de desvio de dinheiro
ONU pede autorização a governo brasileiro para investigar milícias no país

Em entrevista à Rádio Bandeirantes, o governador João Doria (PSDB) afirmou que acha que Bolsonaro foi movido pelo entusiasmo ao anunciar o Rio de Janeiro como ponto de parada da Formula 1 no Brasil em 2020. O político disse que não abre mão do evento e que as negociações são para que a prova siga em São Paulo por mais 10 anos.

Doria ainda teceu críticas ao local indicado por Bolsonaro e autoridades fluminenses para a construção do autódromo no Rio de Janeiro. “Um descampado, uma área até de proteção ambiental."

A capital do Estado vizinho já sediou 10 provas, no local que hoje é o Parque Olímpico, no fim da década de 1970 e durante a década de 1980. Já Interlagos recebeu 34 provas.

Concessão

Também na quarta-feira, o prefeito Bruno Covas (PSDB) enviou à Câmara Municipal um projeto de Lei que autoriza conceder à iniciativa privada o Complexo de Interlagos, que inclui o autódromo, 11 mercados municipais, piscinões, terminais de ônibus e baixos de pontes. Na nota, o projeto é classificado como "um importante ativo para a manutenção da área em sua proposta original".

À Rádio Bandeirantes, Doria afirmou que o autódromo será “concessionado por prazo determinado”, e não mais privatizado. Com isso, segundo o governador, a aprovação pela Câmara Municipal será mais rápida, facilitando investimentos em toda a estrutura e a manutenção da Fórmula 1 na cidade.


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo