Palestino deve enfrentar Internacional sem mapa histórico que caracteriza o time; entenda o imbróglio

Por Rodrigo Almeida

A polêmica envolvendo a bandeira da Palestina nas camisas do Palestino foi instaurada no Chile há alguns anos. Agora, o assunto voltou a se repetir no Rio Grande do Sul.

A organização Sionista do estado, solicitou à Federação Gaúcha de Futebol, ao Internacional, adversário do clube chileno pela Libertadores, a delegados da CBF e à Conmebol, que o Palestino retire do uniforme o mapa histórico do Estado da Palestina antes de 1948.

O argumento é que os chilenos estariam fazendo uma manifestação politica contra o Estado de Israel. A FIFA proíbe qualquer ato político em campos de futebol, e em torneios oficiais ligados à organização.

O grupo que representa a ala mais conservadora da comunidade judia do Rio Grande do Sul se pronunciou: “estamos tentando evitar que se importe o ódio gerado pelo conflito no Oriente Médio. O futebol é esporte, confraternização e amizade. As pessoas estão tratando de evitar todo e qualquer problema. Em porto Alegre, nos damos muito bem com praticamente toda a comunidade Palestina”, disse o presidente da entidade, Ghedale Savitovich.

Mesmo assim, a organização está analisando o tema há vários dias, para evitar atos antissemitas, no duelo programado para esta terça-feira, às 21h30 do horário de Brasília.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo