Loco Abreu se apresenta ao Rio Branco: ‘Quem é atleta nunca para de treinar’

Por Vinicius Arruda/ Metro Espírito Santo

Aos 42 anos, o atacante e ídolo da seleção uruguaia e do Botafogo se apresentou ao Rio Branco. Apesar da idade, o jogador garante estar preparado e diz que vai estrear pela equipe capa-preta no Capixabão 2019, dia 2 de fevereiro   

Atrasado 45 minutos para sua apresentação ao Rio Branco, em Vitória, no Espírito Santos, Loco Abreu chegou mostrando a que veio. Bem-humorado, brincou com os jornalistas e rebateu perguntas que questionavam seu condicionamento físico. Com duas Copas do Mundo na bagagem e grande visibilidade por times nacionais, como o Botafogo, o atleta fez questão de dizer que além de contribuir para o futebol capixaba, irá apoiar ações sociais. Segundo informações de bastidores, o atleta já recebeu R$ 35 mil de luvas, como pagamento pelo mês de janeiro, e ainda receberá outros R$ 35 mil mensais — entre salário, direitos de imagem e gratificação técnica –, além de apartamento, veículo particular, e outros R$ 25 mil caso conquiste a artilharia do campeonato. A direção do Rio Branco não confirmou as informações.

Como foi a recepção da torcida no aeroporto?

Superou totalmente o que a gente pensava. Foi muito legal. Chegar em um clube desse jeito dá empolgação, vontade de se entrosar e começar a jogar. Mas esse é só o início. Ninguém vai ganhar porque a torcida está empolgada. Temos que ajudar a torcida a manter essa empolgação fazendo bem o nosso trabalho dentro do campo.

Aos 42 anos, de onde tira tanta motivação?

A motivação principal é manter a paixão por desfrutar o futebol. Sempre que encontro com ex-atletas eles dizem: “Continua, não tem coisa mais linda que jogar”. 

O Rio Branco estreia no dia 2 de fevereiro. Você vai entrar em campo?

Por que não? Quem é atleta não para de treinar. Eu estava de férias, mas meu preparador físico estava por perto a todo momento. A preocupação vai ser de pegar o ritmo da bola e o entrosamento. Mas a parte física… pode ficar tranquilo. Aos 20 anos, o GPS falava que eu corria 8 km (por jogo). Com 42, ele diz que eu corro 7km. Um a mais ou a menos não faz diferença. O que vai fazer diferença é um bom cruzamento para eu mandar a bola para o gol.

Ainda tem pique para ajudar a marcar e buscar jogo?

Sempre falo uma coisa para o treinador: “Para defender você conta com 10. Mas para atacar você conta com 12”. Minha característica tradicional é ficar enfiado entre os zagueiros. Mas o fundamental é entender os meus companheiros e tirar proveito deles, assim como eles de mim.
Já ouviu falar do clássico contra a Desportiva?

A torcida já fez questão de mandar vídeos antigos sobre a importância desse jogo. Mas, obviamente, é sempre lindo participar de um clássico. Você pode ganhar e cair nas graças do torcedor. Mas não adianta ganhar um clássico e perder os demais (jogos).

Como é chegar a um time como o principal jogador?

Sei bem qual é meu lugar dentro do time. Não sou mais que ninguém. Tenho uma trajetória, tenho um nome, sim, mas eu preciso do time para fazer meu trabalho. Vou ajudar a consertar o que for preciso na parte tática, na parte coletiva, dentro do coletivo, fazer uma união. Eu gosto de ser a referência nesse tipo de situação. Quero igualdade com meus companheiros. Se eles estão bem, isso vai repercutir em campo. 

Você é famoso pelas cobranças de cavadinha. Podemos esperar isso no Capixabão?

Não (risos). Isso acabou em 2011, em um clássico contra o Fluminense. Foi um momento especial de encerrar essa forma de bater. Como ninguém acredita, para mim é melhor porque os goleiros ficam parados e eu acabo jogando a bola no canto.

E como você espera contribuir para o esporte no estado?

Chega uma hora que você começa a perceber que tem muitos lugares que pode ajudar com sua presença. E eu estou sempre aberto a qualquer tipo de convite, principalmente o de ações que envolvam crianças, como ir às escolas e bairros carentes que precisam de apoio.

Já conheceu a moqueca capixaba?

Já me falaram. Agora estamos combinando para eu comer no dia certo. Mas tem muita coisa para eu ver ainda. Gosto de conhecer as cidades e a cultura de onde estou.

PERFIL

Washington Sebastián Abreu Gallo, Loco Abreu

Posição. atacante

Idade. 42 anos

Gols na carreira. 420

Times. Seleção Uruguaia, Botafogo, Grêmio, Nacional, Defensor, San Lorenzo, Deportivo La Coruña, River Plate, Real Sociedad e mais 20 times.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo