Nova etapa do Mundial de Surfe tem disputa em piscina de ondas artificiais

Por Metro Jornal

Esqueça a natureza e as belezas das ondas de Taiti, Havaí ou África do Sul. O Mundial de Surfe desembarca nesta quinta-feira (6) na região rural da Califórnia, mais precisamente em Lemoore, para a etapa de Surf Ranch, o rancho de ondas artificiais criado por Kelly Slater.

Mundial de Surfe 2018 Mecanismo que cria a onda parece um trem / WSL

Idealizado em 2006, ele entrou em operação em 2015. No ano passado, a WSL organizou um evento com alguns dos principais nomes da categoria para testar a novidade, e foi um sucesso – Gabriel Medina venceu e Filipe Toledo terminou em segundo.

Agora, a disputa é séria. Vale pontos para o campeonato, que tem a liderança de Toledo, com 41,985 pontos. Medina vem na sequência, com 35,685, seguido do australiano Julian Wilson (32,380) e Italo Ferreira (30,160).

Após Surf Ranch, restarão três etapas, em Hossegor, na França, Cascais, em Portugal e, por fim, Havaí.

Onda científica

Para que as ondas existam, uma espécie de “locomotiva” passa ao lado, puxando um hidrofólio, que seria uma pá gigante. Essa locomotiva é movida por mais de 150 pneus de caminhão à uma velocidade de 30km/h. A equação velocidade, formato da pá e modelagem da piscina criam a onda perfeita, que passam dos 2 metros de altura.

Ela é tão perfeita que a piscina possui quatro seções diferentes, sendo duas para manobras e duas para tubos, em um percurso de 700m. Se a pá vai em uma direção, as ondas são de esquerda; na outra, elas são de direita.

Mundial de Surfe 2018 Mecanismo que cria a onda parece um trem / WSL
Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo