Hamilton vence de ponta a ponta na Hungria e amplia vantagem na liderança

Por Estadão Conteúdo

O inglês Lewis Hamilton não sofreu sustos e venceu neste domingo de ponta a ponta o GP da Hungria de Fórmula 1. A Mercedes ficou perto de conseguir a dobradinha, mas faltando cinco voltas para o final, Valtteri Bottas foi ultrapassado pelos pilotos da Ferrari. O alemão Sebastian Vettel e o finlandês Kimi Raikkonen garantiram o segundo e o terceiro lugares.

O resultado encerrou o domínio de Vettel no circuito de Hungaroring – o alemão havia vencido nos dois últimos anos. E de quebra ampliou a vantagem de Hamilton na liderança do Mundial de Pilotos. Com a quinta vitória na temporada, a de número 67 na carreira, ele agora foi a 213 pontos na classificação contra 189 de Vettel, o segundo colocado.

A vitória da Mercedes na Hungria também pode ser considerada uma surpresa na temporada, já que o traçado marcado por curvas e de difícil ultrapassagem tinha a Ferrari e também a Red Bull como favoritas. No entanto, a chuva no treino classificatório mudou todos os prognósticos. Hamilton e Bottas garantiram a primeira fila no grid. O finlandês Kimi Raikkonen largou em terceiro, com Vettel em quarto.

Na largada ficou claro o jogo de equipes de Mercedes e Ferrari. Bottas ajudou Hamilton a segurar a investida dos principais rivais. E, nas primeiras voltas, enquanto o britânico abria vantagem na ponta, o finlandês tratava de segurar os adversários um pouco mais atrás. Na escuderia italiana, Raikkonen não dificultou a ultrapassagem de Vettel já na segunda curva. O alemão veio por fora e assumiu o terceiro lugar.

A terceira equipe que era para estar na briga pelos primeiros lugares decepcionou no treino classificatório. O holandês Max Verstappen chegou a ganhar duas posições no início da corrida, assumiu o quinto lugar, mas o carro sofreu mais uma vez problemas de potência e ele precisou abandonar. Enquanto parava, soltou todos os palavrões possíveis no rádio da equipe.

O australiano Daniel Ricciardo foi um dos destaques na corrida. Depois de largar em 12º lugar, ele sofreu um toque na largada e perdeu duas posições. No entanto, fez uma prova de recuperação e foi deixando todos para trás. Na metade da prova já era o quinto colocado – terminou em quarto. Bottas foi o quinto.

Enquanto isso, na disputa pelos primeiros lugares, Raikkonen foi o primeiro a parar nos boxes. Depois veio Bottas. Hamilton foi na sequência e Vettel então assumiu a liderança da 12ª etapa da temporada. O britânico voltou para a pista 12 segundos atrás do alemão.

A intenção da Ferrari era que Vettel abrisse vantagem e voltasse ao menos na segunda colocação. Mas não deu certo. A Mercedes imprimia um bom ritmo e passou a diminuir a distância em relação ao líder. Vettel então foi aos boxes na volta 40. A Ferrari fez um trabalho ruim, demorou 4s7, e o alemão voltou em terceiro lugar.

Na parte final da corrida, Vettel começou a pressionar Bottas, que mantinha quase um segundo de vantagem. Raikkonen vinha na quarta colocação com um ritmo mais forte do que o alemão. Talvez, se estivesse em terceiro, já tivesse roubado o segundo lugar.

Enquanto isso, Hamilton liderava com folga, com cerca de 10 segundo de vantagem para o companheiro de equipe. Faltando cinco voltas para o final, Vettel finalmente conseguiu dar o bote e logo em seguida fechou a porta para Bottas, que chegou a bater o bico do carro na roda traseira do alemão.

Raikkonen aproveitou para assumir a terceira colocação. Bottas ainda sustentou o quarto lugar, mas passou a ser pressionado por Ricciardo. Os dois chegaram a se tocar. O finlandês, no entanto, com problema aerodinâmico, faltando uma volta para o fim, não conseguiu segurar e o australiano.

O francês Pierre Gasly terminou em sexto. O dinamarquês Kevin Magnussen fechou em sétimo, com o espanhol Fernando Alonso em oitavo. O espanhol Carlos Sainz Jr. Foi o nono e Romain Grosjean completou o Top 10. A temporada da Fórmula 1 agora faz uma pausa e recomeça em 26 de agosto, no GP da Bélgica.

Confira a classificação final do GP da Hungria:

1º – Lewis Hamilton (ING/Mercedes), após 70 voltas

2º – Sebastian Vettel (ALE/Ferrari), a 17s123

3º – Kimi Raikkonen (FIN/Ferrari), a 20s101

4º – Daniel Ricciardo (AUS/Red Bull), 45s419

5º – Valtteri Bottas (FIN/Mercedes), a 50s000

6º – Pierre Gasly (FRA/Toro Rosso), a 73s273

7º – Kevin Magnussen (DIN/Haas), a 1 volta

8º – Fernando Alonso (ESP/McLaren), a 1 volta

9º – Carlos Sainz (ESP/Renault), a 1 volta

10º – Romain Grosjean (FRA/Haas),a 1 volta

11º – Brendon Hartley (NZL/Toro Rosso), a 1 volta

12º – Nico Hülkenberg (ALE/Renault), a 1 volta

13º – Esteban Ocon (FRA/Force India), a 1 volta

14º – Sergio Pérez (MEX/Force India), a 1 volta

15º – Marcus Ericsson (SUE/Sauber), a 2 voltas

16º – Sergey Sirotkin (RUS/Williams), a 2 voltas

17º – Lance Stroll (CAN/Williams), a 2 voltas

Não completaram:

Stoffel Vandoorne (BEL/McLaren)

Max Verstappen (HOL/Red Bull)

Charles Leclerc (MON/Sauber)

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo