Seleção masculina de vôlei é arrasada pela Rússia na semifinal da Liga das Nações

Por Estadão Conteúdo

Um dia após o Brasil dar adeus à Copa do Mundo realizada na Rússia com uma derrota por 2 a 1 para a Bélgica, em Kazan, a seleção brasileira masculina de vôlei também decepcionou, neste sábado, ao ser arrasada pela Rússia por 3 sets a 0, com parciais de 25/17, 25/18 e 25/14, em Lille, na França, pelas semifinais da Liga das Nações.

O time comandado por Renan Dal Zotto vinha de uma boa vitória sobre a Sérvia, obtida na última quinta-feira, mas esteve irreconhecível neste sábado e foi dominada pelos russos no confronto realizado no estádio Pierre Mauroy, que é coberto e tem capacidade para 50 mil pessoas.

Com a derrota, o Brasil terá de se contentar com a busca pelo terceiro lugar da competição neste domingo, às 12 horas (de Brasília), contra os Estados Unidos, que na outra semifinal deste sábado foram derrotados pela França por 3 sets a 2.

Franceses e russos medirão forças no confronto que valerá o título da Liga das Nações às 15h45 (de Brasília) deste domingo, em Lille, onde os donos da casa lutarão por uma espécie de bicampeonato, pois esta recém-criada competição substituiu a Liga Mundial no calendário do vôlei masculino a partir deste ano

Em 2017, em uma final realizada na Arena da Baixada, em Curitiba, a França derrotou o Brasil por 3 sets a 2 para ficar com o título. Dois anos antes, no Rio de Janeiro, os franceses também conquistaram a competição ao baterem a Sérvia na decisão

Na partida na qual não conseguiu se classificar para travar uma revanche diante da França, a seleção brasileira acabou sendo atropelada pela Rússia neste sábado. Com um desempenho ofensivo pífio, teve Wallace como maior pontuador, com apenas oito acertos, e fez míseros dois pontos de bloqueio em todo o confronto. Neste mesmo fundamento, os russos somaram dez. Os rivais ainda contabilizaram 39 pontos em ataques, contra 28 dos brasileiros.

Maxim Mikhaylov foi o maior pontuador da Rússia, com 12 acertos, enquanto Dmitry Volkov veio logo atrás, com 11. Dmitriy Muserskiy e Egor Kliuka ainda somaram dez pontos cada um e também foram importantes para o triunfo dos russos, que conquistaram pela última vez a Liga Mundial em 2013. Nesta competição, o jejum do Brasil é ainda maior – ganhou a sua última taça do evento em 2010, quando ergueu o seu nono troféu e se tornou o maior vencedor da história do torneio, ultrapassando a Itália, dona de oito conquistas.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo