4 explicações para Messi não estar brilhando como o esperado na Copa

Depois de um empate e uma derrota, Argentina corre o risco de não se classificar para a próxima fase do mundial na Rússia.

Por Ben Sutherland e Fernando Duarte - BBC News em Moscou e São Petersburgo

A imagem de um sisudo Lionel Messi indo direto ao vestiário depois que a Argentina foi derrotada por 3 a 0 pela Croácia na noite da quinta-feira, em Nizhny Novgorod, já é uma das mais emblemáticas cenas da Copa do Mundo na Rússia.

Messi, eleito cinco vezes melhor jogador do mundo, não apenas não marcou nenhuma vez nos dois jogos da Argentina como também perdeu um pênalti no jogo contra a Islândia, estreia de sua seleção no mundial de 2018.

E, depois de um empate e uma derrota, a Argentina corre o risco de não passar da fase de grupos pela segunda vez desde 2002 na competição. Mas essa seria a primeira eliminação prematura desde que Messi passou a defender a camisa da seleção.

Aos 30 anos, o craque tem, ao menos em teoria, idade e energia para jogar mais uma Copa. No entanto, muitos especialistas acreditam que o mundial na Rússia é a última grande chance do artilheiro do Barcelona ganhar um título importante para a Argentina – a maior vitória do jogador com a camisa da seleção foi na Olimpíada de Pequim, em 2008. E, na Copa passada, o time deixou escapar a taça na final contra a Alemanha.

Mesmo no Barcelona, time onde começou a jogar aos 13 anos, o atacante não está tendo boa temporada. O time catalão venceu o campeonato espanhol deste ano, mas caiu nas quartas de final da Champions League pela terceira vez seguida.

Enquanto isso, viu o principal rival, o Real Madrid, dominar o futebol europeu por três vezes consecutivas.

A BBC News listou quatro razões que podem explicar porque Messi não tem brilhado nessa temporada.

1) Esgotamento físico

10216406583ead80f14ed40bf94bdc2834e3944a8-c7eb3534fead96c1f252d877a460514e.jpg Cansaço excessivo e uma lesão na coxa direita podem estar prejudicando o desempenho de Messi / Getty Images

Na temporada 2017/18 do futebol europeu, Messi jogou 54 partidas. Não entrava tanto em campo desde 2014/15. Essa é uma das médias mais altas do atacante nos últimos cinco anos.

De acordo com as estatísticas do site Transfermarket, o argentino jogou um total de 4.468 minutos e passou uma média de 82,7 minutos em campo em cada partida.

Ainda assim, terminou a temporada marcando 45 gols para o Barcelona.

2) Lesão insistente

Em abril de 2018, o jornal argentino Clarín citou fontes da seleção para afirmar que Messi luta contra uma lesão na coxa direita, que estaria afetando sua capacidade de correr e de mudar de ritmo.

A lesão ficou pública durante os amistosos contra a Itália e Espanha. Com dores musculares, Messi desfalcou o time nos dois jogos.

Na partida contra os espanhóis, Messi assistiu à derrota dos companheiros de time por 6 a 1.

3) Argentina já não é tão boa quanto antes

A Argentina fez uma péssima campanha nas eliminatórias para disputar a Copa de 2018. Só assegurou a vaga na última rodada, graças a uma combinação de resultados.

Messi foi o artilheiro do time na competição, com sete gols. Mas nem assim ele evitou críticas da torcida e dos jornalistas esportivos diante do desempenho medíocre da seleção.

Apesar de ter chegado à final da Copa no Brasil, na qual perdeu por um único gol na prorrogação, a última vez que a Argentina ganhou um mundial foi em 1986.

Nem mesmo o duplo ouro olímpico em 2004 e 2008 amenizou o fato de que, desde a Copa América de 1993, a seleção argentina não ganha um troféu de peso.

4) Cristiano Ronaldo na cabeça

102155198whatsubject-4d43e046a9732629b6dfe9a92f9e89d6.jpg Na Copa na Rússia, Messi e Cristiano Ronaldo têm desempenhos opostos / Getty

O desempenho espetacular do homem que há muito tempo é rival de Messi e, há pelo menos uma década, é comparado diretamente com ele também não tem ajudado o argentino.

O português Cristiano Ronaldo, atacante do Real Madrid, é, no momento, o artilheiro da Copa de 2018, com quatro gols em dois jogos. Marcou três deles no empate em 3 a 3 com a Espanha e o quarto, de cabeça, na partida contra o Marrocos.

Ninguém parece ser capaz de interromper a boa fase de CR7.

Há dois anos, ele levou Portugal a vencer a Eurocopa 2016. A final do torneio durou apenas 24 minutos para Cristiano Ronaldo, que saiu de maca chorando por causa de uma contusão no joelho.

Ele voltou ao gramado para a prorrogação, atuando como "auxiliar" do técnico Fernando Santos na vitória dos portugueses contra a França.

©
Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo