A triste história do mascote da Copa do Mundo na Rússia 2018

Por Victória Bravo

Ninguém imagina, mas o mascote da Copa do Mundo na Rússia não tem uma história feliz. O animal representado conhecido Zabivaka, é uma espécie em perigo de extinção cuja caça é apoiada pelo próprio governo.

Em entrevista à Nueva Mujer, o biólogo Diego Díaz Martín explicou que as quatro subespécies de lobo-cinzento foram reduzidas drasticamente graças à caça.

As organizações ecológicas russas estimam que atualmente existam apenas 30 ou 50 mil de lobos na Rússia.

Para Díaz Martín “mesmo que vista orgulhoso as cores da seleção russa, Zabivaka esconde uma triste história de preservação dos lobos siberianos que o governo russo não sabe lidar”.

Zabivaka: o mascote com uma história triste

Mesmo que esses lobos não costumem atacar humanos, sua presença é rejeitada em algumas localidades. Isso ocorre porque os ataques com lobo acabam com cerca de 34 mil alces, 140 mil renas, 40 mil javalis, quase três milhões de lebres e 70 mil castores anualmente. Gerando uma despesa de até 651 milhões de dólares.

Para Díaz Martínez, a situação dos lobos russos irá piorar por duas razões: primeiro porque as autoridades governamentais incentivam sua caça, oferecendo 500 dólares por cada lobo morto, e segundo porque não existem medidas protetivas para esse animal.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo