OAB quer que Tribunal de Ética analise vídeo de torcedores na Rússia

Por Metro Jornal

Um vídeo de torcedores brasileiros incentivando uma mulher – aparentemente russa – a repetir palavrões em português está gerando polêmica nas redes sociais. Até agora, apenas um dos homens foi identificado: o advogado Diego Valença Jatobá.

Após identificar Jatobá, a OAB/PE (Ordem dos Advogados do Brasil de Pernambuco) está tentando chegar a todos os envolvidos no caso e solicitou que o Tribunal de Ética faça uma análise das imagens.

Leia mais:
Lula estreia como comentarista e diz que Seleção Brasileira ‘não jogou bem’
STF inicia hoje julgamente de Gleisi Hoffmann, presidente do PT

Segundo o Jornal do Commercio, o pedido foi encaminhado pela presidente da Comissão da Mulher Advogada no Estado, Ana Luiza Mousinho. "Primeiro, estamos tentando apurar quem são todos os envolvidos", informou. Ela também disse que as condutas anteriores de Jatobá serão analisadas e se há antecedentes.

Antes mesmo desse pedido, a OAB/PE já havia entrado com uma nota de repúdio ao vídeo. Veja o texto na íntegra:

"A Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Pernambuco, por intermédio da Comissão da Mulher Advogada, repudia veementemente o conteúdo de um vídeo amplamente divulgado nas redes sociais em que um grupo de brasileiros ladeia uma mulher, que aparentemente não é brasileira nem fala português, e profere em coro ofensas relacionadas ao seu órgão sexual.

Dentre os protagonistas do lamentável episódio, identifica-se o advogado Diego Valença Jatobá, regularmente inscrito nesta Seccional.

Segundo dados da ONU, uma em cada três mulheres é ou será vítima de violência de gênero no mundo, sendo o Brasil o 5º país no ranking mundial de violência contra as mulheres.

De acordo com Relógios da Violência do Instituto Maria da Penha, a cada 2 segundos uma mulher é vítima de violência física ou verbal no Brasil e a cada 1.5 segundo uma mulher é vítima de assédio na rua.

As estatísticas são alarmantes e nos levam a uma profunda reflexão sobre a necessidade de uma mudança urgente da cultura machista e patriarcalista em que nossa sociedade ainda está, infelizmente, inserida.

A preconceituoso atitude é causa de vergonha para todos nós, brasileiros, e vai na contramão do atual contexto de luta contra a desigualdade de gênero, em que cada dia mais as instituições públicas e privadas estão em busca de soluções conjuntas para que nenhuma mulher sofra qualquer tipo de violência ou discriminação pelo fato de ser mulher.

A Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Pernambuco, por intermédio da Comissão da Mulher Advogada, reafirma seu compromisso de trabalho incansável para que os princípios do Estado Democrático de Direito sejam resguardados, proporcionando-se às mulheres a garantia de exercício de suas liberdades individuais e sexuais, com igualdade de espaço, de oportunidades e, sobretudo, de tratamento."

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo