O gago, o autor de livros infantis e o portador de 4 rins: as curiosidades dos jogadores da Copa

Conheça algumas histórias surpreendentes de estrelas da maior competição do futebol.

Por BBC Brasil

Talvez você já soubesse que Lionel Messi fez um tratamento hormonal para aumentar sua estatura ou que Ronaldo passou muitas horas na academia para melhorar seu porte físico.

Mas, com o início da Copa do Mundo, aqui vão alguns fatos e curiosidades sobre alguns dos principais nomes do futebol que você pode ainda desconhecer.

O amigo que foi decisivo na carreira de Cristiano Ronaldo

Cristiano Ronaldo é há vários anos um dos dois principais jogadores do mundo. Ele costuma dizer que deve muito desse sucesso a um ex-companheiro de equipe na juventude, seu amigo Albert Fantrau.

Quando jogavam juntos em um time infanto-juvenil na ilha da Madeira, um olheiro do Sporting Clube foi acompanhar uma partida e fez uma promessa à dupla: quem fizesse mais gols, seria chamado para treinar na equipe.

No jogo, Ronaldo e Fantrau haviam marcado uma vez cada um, quando Fantrau se infiltrou na defesa, driblou o goleiro e só precisava chutar a bola para o gol vazio, mas, em vez disso, passou para Ronaldo, que marcou – e foi levado para o Sporting.

Ronaldo perguntou por que Fantrau havia feito aquilo. "Você é melhor do que eu", Fantrau respondeu.

A carreira de Fantrau acabou pouco depois. Um jornalista foi checar essa história e o encontrou vivendo em uma casa confortável e com um carro esportivo. Questionado como havia conseguido aquilo, ele respondeu: "Foi o Cristiano".

Lionel Messi: fuga do banheiro, Coca-Cola e contrato no guardanapo

101986266messihousegettyimages803400196-d3e4eb1465fc0b4136b9b6cd23c3e4a2.jpg Messi ficou certa vez preso no banheiro de sua casa e teve de arranjar um jeito de sair para conseguir jogar uma partida / Getty Images

A aplicação e a determinação do argentino são conhecidas, mas essa história de sua infância mostram que ele sempre teve essas qualidades.

Seu ex-companheiro de time Juan Leguizamón é quem conta sobre o episódio ocorrido em um torneio em Rosario, na Argentina. O prêmio para a equipe vencedora era uma bicicleta, mas, inexplicavelmente, Messi não apareceu para o início do jogo.

"Terminamos o primeiro tempo perdendo por 1 a 0. Ele finalmente chegou. Havia ficado preso no banheiro de sua casa e teve de quebrar a porta de vidro para conseguir sair de lá. Ganhamos por 3 a 1, com três gols de Leo."

Quando era pequeno, Messi gostava muito do refrigerante Coca-Cola. Quando começou a treinar na academia do Barcelona, aos 13 anos, bebia tanto que o clube teve de retirar todas as máquinas de refrigerantes de suas instalações.

O primeiro contrato que assinou com o Barcelona foi escrito em um guardanapo de papel – o representante do clube estava tão certo de que queria contratar Messi que fechou o acordo ali mesmo onde estava.

A humildade de Mo Salah diante do sucesso

Ele pode ser uma das principais estrelas do futebol hoje, mas Mo Salah ainda tem os pés no chão.

Depois de marcar o gol de pênalti que levou o Egito à sua primeira Copa desde 1990, um empresário do país ofereceu a ele como recompensa uma casa luxuosa.

Mas, humildemente, Mo Salah recusou o presente e pediu ao empresário que fizesse uma doação ao seu vilarejo, Nagrig, na província de Gharbia, onde ele mantém um centro de treinamento para jovens.

Neymar: a infância pobre do fã de Power Rangers

Quando era criança, Neymar não tinha a ambição de ser jogador de futebol. Ele queria ser um Power Ranger.

Protagonista da transferência mais cara da história do futebol, ele teve uma infância muito pobre, a ponto de seu pai dizer certa vez que ele "não começou do zero, começou de menos cinco".

Sua família dormia em um único colchão na casa de seus avós e muitas vezes ficava à luz de vela, pelos cortes constantes de energia elétrica.

Seu pai diz que raramente conseguia ver Neymar jogar, porque tinha três empregos para sustentar a família.

Os livros infantis de Antoine Griezmann

Além de jogar futebol, o francês Antoine Griezmann escreve livros infantis. O primeiro título da série Goal! saiu em outubro do ano passado.

"Para me tornar um atleta profissional, tive de superar muitos obstáculos e nunca relaxar", escreveu ele.

"Agora, sou pai da pequena Mia e queria transmitir meus valores pessoais e esportivos para as crianças. Quando era pequeno, teria amado ler sobre Beckham ou Zidane, por isso fiz essa série de histórias."

A coisa 'mais difícil' que Ivan Rakitic já fez na vida

O meio de campo croata conta que teve de dar duro para conquistar sua mulher, Raquel.

Ele a viu pela primeira vez na rua em Sevilla pouco depois de ser contratado pelo time que leva o nome da cidade espanhola, mas não a chamou para sair porque não falava espanhol.

Ele aprendeu o idioma escutando programas de rádio e de TV. Quando já tinha um bom domínio da língua, ele a convidou, várias vezes, para um encontro, mas ela sempre recusou, dizendo: "Você é um jogador de futebol. Pode se mudar para outro país no ano que vem. Desculpe-me, mas não".

Isso fez Rakitic se concentrar em consolidar sua posição no Sevilla para que não fosse vendido a um clube estrangeiro. Depois de sete meses, recebeu a dica de um amigo dizendo que Raquel estava hospedada em determinado hotel. Ele correu para lá e sentou-se em frente a ela no restaurante do local.

"Eu disse 'ok, você não está trabalhando, finalmente tem um tempo para jantar comigo…'. No dia seguinte, fomos almoçar, e estamos juntos desde então. Seis anos depois, temos duas filhas lindas. Foi a coisa mais difícil que fiz na vida. Foi mais difícil que vencer a Champions League e levou quase o mesmo tempo."

Gabriel Jesus: de pintor de rua a estrela da Copa

101974063gabrieljesus-57bf9dee47d3c379ec559150ae81e061.jpg Na última Copa, Gabriel Jesus era só um menino que pintava uma rua de São Paulo / Gabriel Jesus - Twitter

Gabriel Jesus, hoje um dos principais nomes da seleção brasileira, era um desconhecido quando a foto acima foi feita.

Gabriel e alguns amigos pintavam uma rua em São Paulo. A cena se deu antes da Copa do Mundo de 2014 – ele postou a imagem no ano passado no Twitter.

Na temporada desse registro, ele ainda não era uma estrela do Manchester City, da Inglaterra.

Jogava no Brasil e disputava o campeonato paulista pelo Palmeiras, quando fez impressionantes 37 gols em 22 partidas.

O plano de vida de Kevin de Bruyne

O belga tem o apelido de "secadora" por seu estilo seco no WhatsApp.

Aos 11 anos, contou à mãe o que faria da vida: "Quero estudar latim por dois anos, então, irei para a Topsportschool (uma escola de elite para jovens atletas) e, quando tiver 18 anos, me dedicarei ao futebol".

Ele cumpriu seu plano.

Hoje tido como um dos grandes craques da Europa, ele parece ser feito de gelo. Segundo o jornal britânico The Guardian, "os testes de saliva feitos pelos médicos de seu time, o Machester City, na véspera dos jogos revelaram que seus níveis de estresse são tão baixos que são negativos".

A origem do estilo elétrico de Sadio Mané

Um dos aspectos-chave do atacante senegalês é sua cadência veloz.

Mané desenvolveu essa habilidade quando era criança, ao não ir a lugar algum de bicicleta ou carro – ele sempre corria.

Quando ia jogar futebol, nunca carregava uma bolsa para não ficar mais lento. Levava só as chuteiras nas mãos.

Ao chegar, dava sete voltas em torno do campo para aquecer e, então, entrava direto no jogo.

A condição rara de Slawomir Peszko

O polonês Slawomir Peszko, meio campo do Lechia Gdansk, tem uma condição rara: ele tem quatro rins.

Os órgãos extras foram descobertos durante exames médicos feitos quando foi transferido do Köln, em 2011.

Sua mãe nunca havia desconfiado, dizendo que achava que seu filho "só costumava ir mais ao banheiro do que a maioria das pessoas".

Os conselhos que ajudam Alex Iwobi a manter os pés no chão

Seu tio, Jay-Jay Okocha, foi um dos maiores jogadores que a Nigéria já teve.

Mas, quando Iwobi era adolescente, ele jogou pelas seleções inglesas sub-16, sub-17 e sub-18.

Aparentemente, o país perdeu interesse no jogador, que, desiludido, aceitou o conselho do tio e foi jogar pela Nigéria.

Okocha continuou a ser conselheiro do sobrinho – eles se falam a cada duas semanas.

"Ele me diz que, para manter meu estilo de vida, preciso ter negócios e imóveis. Ele tenta manter meus pés no chão e me ajudar a planejar meu futuro depois do futebol."

A polêmica decisão de Ashkan Dejagah

Criado em Berlim desde que tinha 1 ano de idade, o iraniano integrou a seleção alemã sub-21, mas, em 2007, se recusou a jogar contra Israel "por motivos pessoais".

O caso foi polêmico, com vários políticos e veículos de mídia fazendo campanha para que ele fosse dispensado, sob a suspeita de que a decisão se devia a antissemitismo.

Em meio ao furor, Dejagah explicou que não quis jogar por temer as repercussões para sua família no Irã se ele disputasse a partida – o Irã veta seus atletas de participarem de competições contra Israel.

No fim das contas, Dejagah acabou optando por jogar pelo país onde nasceu, o Irã.

James Rodriguez: timidez e gagueira

Quando tinha 13 anos, James era tão tímido que muitos jogadores do seu time na época, o El Dorado, nunca tinham ouvido sua voz.

E os poucos que haviam escutado ele falar notaram que tinha uma gagueira intensa.

Sua timidez era tanta que o clube contratou um psicólogo para ajudá-lo.

Quando James se mudou para a Argentina, passou a ler livros em voz alta para tentar superar a gagueira.

A vida de cinema de Jamie Vardy

A ascensão de James Vardy das ligas menos importantes do futebol inglês a campeão da Premier League com o Leicester City foi algo digno de cinema – tanto que um filme sobre ele estaria sendo planejado.

Mas, dois anos depois do título, nada de filme ainda. Por quê?

Bem, um contratempo nada insignificante foi que a atriz escalada para interpretar a mulher do jogador, a estrela de reality-show Rebekah Vardy, era Meghan Markle, a atual mulher do príncipe Harry.

©
Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo