Uma breve história do gol contra na Copa do Mundo

Marcar contra seu próprio time acidentalmente é uma ocorrência rara no futebol, mas tem um impacto significativo durante uma Copa do Mundo.

Por Fernando Duarte - Da BBC em Sochi, na Rússia

O que o jogador escocês Tom Boyd e o brasileiro Marcelo têm em comum? Quase nada, a não ser o fato de que compartilham uma "conquista" indesejada em Copas do Mundo.

Eles são os dois únicos jogadores a marcarem gols contra em jogos de abertura de Mundiais. Boyd na França, em 1998, e Marcelo no Brasil, em 2014.

O escocês se aposentou dos campos há tempos, mas o lateral-esquerdo brasileiro faz parte da seleção que está na Rússia.

Sem dúvida, ele espera não repetir a façanha – na verdade, ele é o único brasileiro a marcar um gol contra em uma Copa do Mundo.

"Eu tinha que ficar calmo. Se eu abaixasse a cabeça, teria piorado as coisas para o time. Ajudou muito o fato de que a torcida gritou meu nome", disse Marcelo, que joga no time espanhol Real Madrid, na época.

Para piorar a situação, o Brasil estava jogando em casa. Era uma partida do grupo A contra a Croácia. Pelo menos, a seleção brasileira venceu o jogo por 3 a 1.

Já Tom Boyd não pode dizer o mesmo. Seu gol contra deu ao Brasil uma vitória de 2 a 1 sobre a Escócia.

Ocorrência rara

De acordo com a Fifa, entre o primeiro Mundial em 1930 e o mais recente, em 2014, mais de 2.300 gols foram marcados – apenas 41 deles foram gols contra.

Eles são, de fato, uma ocorrência rara, mas isso não serve de consolo para os times envolvidos. Um gol contra chegou a resultar em tragédia fora de campo.

Em 1994, o zagueiro colombiano Andrés Escobar foi morto com um tiro do lado de fora de uma boate em Medelín apenas uma semana depois de colocar a bola dentro de sua própria rede em uma derrota de 2 a 1 para os Estados Unidos.

O gol selou a eliminação do time sul-americano na primeira rodada.

1020714899829f21a322a4805ad4e5b35c2d05438-61ce40b37f13ca9ccc725fe6468e5779.jpg O marroquino Aziz Bouhaddouz marcou o primeiro gol contra do Mundial da Rússia em uma partida com o Irã / Reuters

Escobar foi morto por Humberto Muñoz, um guarda-costas dos irmãos Gallon, membros de um poderoso cartel colombiano.

Segundo relatos da época, eles apostaram muito dinheiro no sucesso da Colômbia no Mundial. Mais de 120 mil pessoas foram ao funeral do jogador assassinado.

De todas as Copas do Mundo, só as edições de 1934, 1958, 1962 e 1990 ocorreram sem gols contra.

A Copa da França, em 1998, tem o recorde de maior número de gols contra – seis, incluindo o de Boyd na partida contra o Brasil, em Paris.

Será que a da Rússia, que já é a Copa mais cara de todas, vai quebrar este recorde?

No Brasil, em 2014, cinco gols contra foram registrados – dois deles beneficiavam a França, em partidas contra Honduras e Nigéria.

Aliás, a França é a única seleção vencedora de Copa do Mundo que nunca marcou um gol contra no torneio.

Ao lado de Itália e Alemanha, a França também é a nação mais beneficiada pelo fenômeno na história das Copas, com quatro gols contra de seus adversários.

A Bulgária também tem seus recordes: foram dois gols contra no mesmo torneio, em 1966, e o país também é o que mais "cometeu" gols contra si mesmo, ao lado do México e da Espanha (cada um deles marcou três).

A Holanda também estão nessa lista, mas um de seus jogadores, Ernie Brandts, conseguiu compensar seu próprio gol contra na partida com a Itália em 1978, ao marcar também um no adversário. A seleção holandesa venceu por 2 a 1.

Mas nenhum destes times conseguiu superar Trinidad e Tobago. Os "guerreiros de Soca", como eles são conhecidos, deixaram a Copa de 2006 sem marcar um único gol a seu favor – e marcando um contra.

©
Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo