Boleiros esquentam as peladas de rua nas cidades russas à espera da Copa do Mundo; veja as fotos

Fotógrafo brasileiro Caio Vilela visitou as cidades-sede do Mundial e clicou a alegria lúdica de boleiros comuns em atividade espontânea nas ruas e espaços públicos.

Por BBC Brasil

Enquanto craques de 36 países se preparam para entrar em campo, dentro de duas semanas, para disputar a vigésima-primeira Copa do Mundo de futebol, boleiros anônimos seguem competindo em animadas peladas nas ruas, praças, praias e campos improvisados em várias cidades da Rússia, no momento em que o país se prepara para sediar o Mundial.

Em viagem recente, percorrendo de ponta a ponta o maior país do mundo, o fotógrafo brasileiro Caio Vilela registrou as partidas amadoras de jovens russos em cada uma das onze cidades-sede da Copa e em outros pontos do território. Seus cliques revelam a alegria lúdica estampada no rosto dos jovens ao correrem atrás da bola e atesta a paixão dos russos pelo futebol.

1017913077aa9d8f89d124d879e4dffb04ebf64ab-a8f4fc9e4f7937440b6c476df1b9529f.jpg Pelada no centro de Rostov-on-Don, palco da estreia do Brasil na Copa, no dia 17 de junho, contra a Suíça. Rostov é terra do povo cossaco e goza de um status elevado entre as principais cidades da Rússia europeia graças à sua posição geográfica privilegiada, apenas a 32km distante do Mar de Azov / Caio Vilela
1017913122aeb6fc483c04e008323863ba17caf06-1788d11bd0ced045ddaf2740b0c8282e.jpg Partida em praça no centro de Volgogrado, um dos destinos favoritos dos amantes de História. Em 1942, a cidade, à margem do rio Volga, foi palco de um dos capítulos mais sangrentos da Segunda Guerra Mundial: a Batalha de Stalingrado, que conseguiu impedir o avanço do exército alemão ao custo de quase dois milhões de vidas / Caio Vilela
101791308a2d34fbc4a4942afb3340aeeaf4af181-5d38d5c5a450557cf0603bcae63f622e.jpg A larga faixa de areia da praia de Samara se estende por uma ampla curva do rio Volga, onde diversos campinhos reúnem boleiros em um ritual incessante nos meses mais quentes nessa cidade-sede da Copa: jogos intercalados com mergulhos no rio / Caio Vilela
101791309fd3153acbc444e06ad70a1b0711338a4-6939af74e34f7a5c000af363baa87280.jpg Em Saransk, o gramado bem cuidado ao redor da Casa da Cultura local convida os meninos para uma partida no parque central da capital da Mordóvia, a menor entre as cidades-sede da Copa, situada a apenas 650 km de Moscou / Caio Vilela
101791311daae5fab37fa4a9fb527b9aa6de91955-aa98cfec269d282b3f961cb08669409c.jpg Garotos "atrapalham o movimento" no passeio público jogando bola em frente à Catedral do Sangue Derramado em São Petersburgo, antiga capital do Império Russo, onde Pushkin, Dostoievsky, Gogol e outros autores ambientaram algumas de suas obras / Caio Vilela
1017913067c0ae762a5ba4e27a912118f864565fb-33c7e2e288775140c82253aca4525d62.jpg Na cidade-sede Nizhny Novgorod, jovens esportistas improvisam uma partida próximo à entrada do conjunto de palácios governamentais, estrategicamente construídos em uma colina na junção dos rios Oka e Volga / Caio Vilela
101791304fe8d909cb6684a749d12f0df14308072-5c143b0eb10a06c4005dfa6ce898b9f5.jpg Saída de escola em Kazan, capital do Tartaristão, uma das mais ricas cidades-sede da Copa, terra dos tártaros, povo muçulmano semi-nomádico, aliados de Genghis Khan e do Império Mongol desde o século 13 / Caio Vilela
101791314f1e0e14ad6c146c9abc2ce91b0f9b12f-4e49b0273c664ca71e4fb3ca147a555f.jpg Campinho de um complexo residencial na periferia de Kaliningrado, cidade portuária espremida entre a Polônia e a Lituânia, no litoral do Mar Báltico; a antiga cidade alemã e ex-capital da extinta Prússia é o único território russo separado da imensa massa continental que se estende da Europa à Ásia / Caio Vilela
1017913155df5bf3bda624727b3276ee93b6be683-ec37ae5bf7f352d5940bacb776bf6abc.jpg Universitário moscovita exibe truques com a bola para meninas durante passeio de domingo em frente à Catedral São Basílio, na Praça Vermelha de Moscou / Caio Vilela
101791313f936535978944b088c6b57ffaab6cffc-5f5af65634dfe4aa3ac44a901fc6282d.jpg Sob a sombra dos edifícios da praça Platinka, boleiros de um clube amador ocupam o espaço público generoso no centro de Ekaterimburgo, uma das cidades históricas mais charmosas da Rússia / Caio Vilela
101791305f04e5f5addc446a8947864c7f05b7e74-db55d1708b7ae85f4d3ed3ba3fd6a423.jpg No lado asiático da Rússia, longe das sedes da Copa do Mundo, a jovem Elisabeth Nikolayenko exibe controle de bola e alegria em Khabarovsk, cidade próspera no extremo leste da ferrovia Transiberiana, última metrópole importante antes do ponto final em Vladivostok / Caio Vilela

.

©
Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo