'Mandinga' da Copa: marca suspende exportação de guaraná para rivais do Brasil

Por Metro Jornal

Muitos estrangeiros creditavam à nossa água para explicar a qualidade dos atletas do Brasil, especialmente no futebol e na Fórmula 1. Pensando nesta brincadeira, o Ambev resolveu fazer "a sua parte" e suspendeu a exportação do Guaraná Antarctica para países adversários do Brasil na Copa do Mundo da Rússia até o fim de julho.

Segundo a empresa, patrocinadora da Seleção desde 2002, a justificativa para a ação é que o guaraná pode ser considerado um elixir da para o bom desempenho do futebol brasileiro. Assim nenhum adversário poderá beber da ginga brasuca no período, deixando em território nacional a fórmula e o sabor únicos da fruta típica do Brasil.

“Suspender a exportação do guaraná é uma forma de mostrar o quanto nos orgulhamos de ser brasileiros e de estar 15 anos ao lado da Seleção Brasileira e dos torcedores. Vamos proteger a nossa 'fórmula mágica da brasilidade' dos nossos adversários temporariamente. Esse é o jeito Guaraná Antarctica de torcer, passar confiança e fortalecer ainda mais o elo entre o refrigerante mais brasileiro de todos, a seleção e os nossos torcedores”, comenta Jaqueline Barsi, gerente de marketing de Guaraná Antarctica.

Atualmente, o Guaraná Antarctica está presente em 70% do mercado de refrigerantes no mundo, em mais de 50 países. Nessa ação inédita da companhia, no entanto, os adversários terão as exportações temporariamente suspensas, até o fim de julho.

A Seleção enfrenta na primeira fase Costa Rica, Suíça e Sérvia. Dependendo dos resultados da fase de grupos, já nas oitavas de final, o Brasil pode pegar a Alemanha.

Explicando a piada

Tricampeão da Fórmula 1, o escocês Jackie Stweart dizia que a razão pelo qual os brasileiros venciam tantos campeonatos de automobilismo, nos anos 1970 e 1980, era a água que bebíamos por aqui.

Confira o filme da campanha:

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo