Nadal leva 11º troféu em Montecarlo, vira maior vencedor de Masters e segue nº 1

Por Estadão Conteúdo

Rafael Nadal conquistou neste domingo o seu 11º título do Masters 1000 de Montecarlo ao arrasar o japonês Kei Nishikori por 2 sets a 0, com parciais de 6/3 e 6/2, na final da importante competição realizada em quadras de saibro.

Ganhador do evento em Mônaco por oito vezes consecutivas entre 2005 e 2012 e detentor dos troféus de 2016 e 2017, o tenista espanhol confirmou assim a condição de principal favorito e se isolou também como maior vencedor de Masters no circuito profissional – ele alcançou a sua 31ª taça desta série de torneios e deixou para trás o sérvio Novak Djokovic, que tem 30 e foi eliminado nas quartas de final desta edição da competição

De quebra, Nadal também garantiu, com este título, a sua permanência na liderança do ranking mundial. Ele defendia os 1000 pontos que somou pela conquista do ano passado em Montecarlo e corria o risco de voltar a ser ultrapassado pelo suíço Roger Federer, atual vice-líder, que optou por ficar fora de toda temporada de saibro neste ano.

Este também foi o primeiro título de Nadal nesta temporada, na qual se afastou das quadras em janeiro após ser eliminado nas quartas de final do Aberto da Austrália. Lesionado, ele só voltou a atuar no início deste mês, quando ajudou a Espanha a derrotar a Alemanha em confronto válido pela Copa Davis, e agora finalmente pôde comemorar o seu primeiro troféu em 2018.

Assim, Nadal agora passou a acumular 76 títulos de simples no circuito da ATP, sendo que em número de conquistas ele só está atrás de Federer, que acumula incríveis 97 troféus e hoje está apenas 100 pontos atrás do líder no ranking mundial.

ARRASADOR – Dominante no saibro, Nadal ergueu a sua 11ª taça em Montecarlo após uma campanha no qual não perdeu nenhum set e cedeu um total de apenas 25 games aos seus adversários em cinco partidas disputadas. Contra Nishikori, o espanhol chegou a levar um pequeno susto ao ter o seu saque quebrado primeiro e ver o japonês abrir vantagem de 2 a 1.

Porém, com uma confiança inabalável neste tipo de superfície, ele ganhou os seus quatro games seguintes ao obter duas quebras de serviço e depois fechou o set inicial em 6/3. Já na segunda parcial, sem ter o seu saque ameaçado por nenhuma vez, Nadal converteu dois de três break points para impor o 6/2 que liquidou a partida após 1h33min.

Essa foi também a décima vitória de Nadal em 12 confrontos com Nishikori, que havia levado a melhor no último deles, na decisão do bronze olímpico nos Jogos do Rio-2016, em um confronto realizado em quadra dura. Ex-número 4 do mundo e hoje 36º colocado, o japonês buscava o 12º título de sua carreira e fez bonito após emplacar a melhor semana de sua temporada desde o seu retorno às quadras, no final de janeiro, após cinco meses de afastamento por causa de lesão no punho direito.

E Nadal exaltou o esforço do japonês em seu discurso durante a cerimônia de entrega do troféu em Montecarlo. "É um dos torneios mais importantes do ano. E felicito Kei porque sei como é difícil voltar depois de uma lesão. E te desejo o melhor para o restante da temporada", afirmou o espanhol, que também lembrou da sua luta para se recuperar da lesão que o afastou das quadras "Os últimos cinco meses foram muito difíceis, muito duros, e sempre é uma alegria poder ganhar aqui", festejou.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo