PM veta treinamentos abertos e diz que Corinthians não formalizou pedido

Por Estadão Conteúdo

O segundo jogo da decisão do Campeonato Paulista entre Palmeiras e Corinthians já começou. Com a diferença menor que uma hora de uma divulgação para a outra, os dois clubes anunciaram a realização de treinamento aberto com a presença de torcida em suas arenas, mas a Polícia Militar vetou os dois eventos simultâneos. Segundo a PM, o time alvinegro não formalizou o pedido.

"O Palmeiras já protocolou o pedido e o Corinthians, não. Ficamos sabendo da realização do treinamento aberto pela imprensa", disse ao Estado, o Major Alexandre Vilariço, do 2.º Batalhão de Choque. Segundo ele, a PM vai passar a situação para o Ministério Público, que irá chamar os clubes para conversar e tentar um acordo.

A Polícia sugere que um dos treinamentos seja fechado ou mude de data. O Corinthians anunciou na tarde desta segunda-feira que o treinamento de sábado será às 10 horas, na Arena Corinthians. Pouco depois, o Palmeiras também divulgou que o seu trabalho na véspera da partida será no mesmo horário, no estádio Allianz Parque, palco da decisão.

"Amanhã (terça-feira) vou receber um documento do Batalhão de Choque dizendo que compromete a ordem pública a realização dos dois eventos. Vou comunicar oficialmente os dois clubes e a Federação Paulista de Futebol (FPF) dizendo que não tem a mínima possibilidade dos dois eventos serem realizados ao mesmo tempo", explicou Paulo Castilho, promotor do Ministério Público, em entrevista ao Estado.

Paulo Castilho reforça que a preocupação nem é tanto com o local dos treinamentos, mas sim com o deslocamento dos torcedores até as arenas. "A Polícia Militar está muito preocupada com a onda de violência. É um absurdo você colocar em risco os torcedores e os usuários do transporte público. Não vai ter jeito. Ou alguém transfere a atividade para sexta-feira ou faz treino fechado", resumiu.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo