A 'vida fácil' do Palmeiras nas quartas do Paulistão

Por Estadão Conteúdo

A fase semifinal do Campeonato Paulista vai começar no próximo fim de semana com um favorito em bastante evidência. O Palmeiras adquiriu esse status por ser o único a ter passado pelas quartas de final com domínio, bom futebol e atuações muito convincentes, como a exibida na goleada por 5 a 0 sobre o Novorizontino, no Allianz Parque, na noite desta quarta-feira.

A campanha do Palmeiras ganha destaque em comparação aos demais pelo clube já ter garantido a melhor campanha geral do torneio. A vitória sobre o Novorizontino deixa o time com a vantagem de decidir como mandante em uma possível decisão e com uma ótima impressão. Apesar de o adversário ter se mostrado inofensivo na arena, o favorito ganhou com facilidade e bom futebol.

O placar agregado de 8 a 0 sobre um rival que fez a terceira melhor campanha da primeira fase mostra a força do Palmeiras. O elenco se fortaleceu nas últimas semanas e consolida a classificação sem estar com a força máxima (Borja e Jailson não jogaram) e com opções aumentando. O lateral Diogo Barbosa, por exemplo, ficou no banco pela primeira vez no ano.

Os 4 a 0 construídos no primeiro tempo foram o cumprimento de uma lição muito cobrada por Roger Machado. O técnico sempre repete que a maior prova de respeito diante de um adversário é jogar bem, buscar o gol e não debochar da situação. O Palmeiras se apegou à instrução para jogar como se não tivesse grande vantagem e precisasse do futebol rápido, das tabelas e do empenho para se classificar.

O show coletivo do Palmeiras teve Lucas Lima como organizador da apresentação. O meia deu bons lançamentos, assistência e teve uma atuação à altura dos melhores momentos da carreira, ao participar da jogada de quatro gols. A marcação desorganizada de um Novorizontino que precisava atacar também contribuiu. O time alviverde não sentiu a falta de Borja, cedido à seleção colombiana.

Tudo começou a fluir cedo para o Palmeiras porque aos seis minutos Bruno Henrique abriu o placar, aos 18, Keno encobriu o goleiro e fez outro, para depois Willian e Dudu fazerem de novo, aos 34 e 46. Tudo isso no primeiro tempo. O time poderia escolher por qual caminho chegar ao gol, pois não havia resistência, tampouco ameaça nos contragolpes.

A facilidade possibilitou ao time fazer experiências na segunda etapa. O zagueiro Edu Dracena atuou pela primeira vez no ano, Tchê Tchê entrou na lateral para dar descanso a Marcos Rocha e o garoto Papagaio também jogou. Uma aposta, porém, não deu certo. Felipe Melo tentou cobrar pênalti, mas chutou por cima e desperdiçou a chance do quinto gol.

Esse revés foi muito pouco diante de uma noite de gala, até porque Papagaio selaria o resultado. O clube que busca um título estadual depois de dez anos vai para as duas fases finais da competição movido pela goleada e pelos gritos eufóricos de uma torcida que foi ao delírio com a vitória massacrante. A bela atuação ainda não matou a fome, mas abriu o apetite para mais noites de bom futebol.

FICHA TÉCNICA:

PALMEIRAS 5 X 0 NOVORIZONTINO

PALMEIRAS – Fernando Prass; Marcos Rocha (Tchê Tchê), Antônio Carlos, Thiago Martins (Edu Dracena) e Victor Luís; Felipe Melo, Bruno Henrique e Lucas Lima; Keno, Dudu e Willian (Papagaio). Técnico: Roger Machado.

NOVORIZONTINO – Oliveira; Tony, Guilherme Teixeira, Éder e Thallyson (Lucas Siqueira); Adilson Goiano, Jonatan Lima e Jean Carlos (Valdeir); Juninho, Cléo Silva (Reverson) e Safira. Técnico: Doriva.

ÁRBITRO – Vinícius Furlan (SP).

GOLS – Bruno Henrique, aos 6, Keno, aos 18, Willian, aos 34, e Dudu, aos 46 minutos do primeiro tempo. Papagaio, aos 34 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS – Éder, Thallyson, Safira, Jonatan Lima.

CARTÃO VERMELHO – Jonathan Lima.

PÚBLICO – 25.446 torcedores.

RENDA – R$ 1.471.899,40.

LOCAL – Estádio Allianz Parque, em São Paulo (SP).

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo