Thaísa sai em defesa da jogadora trans Tifanny: 'Tem que ver o lado humano'

Por Metro Jornal

A bicampeã olímpica de vôlei Thaísa resolveu dar sua opinião sobre a mais recente polêmica na Superliga Feminina de Vôlei: a presença da atleta transexual Tifanny.

"Não cabe a mim falar, se acho que deve ou não deve. Não tenho que achar nada, não sou eu que defino nada, não estudei para isso e não estou ali para julgar e dizer se pode ou não pode", disse Thaísa.

Ela ainda falou sobre ver o lado humano de Tifanny: "ela é uma jogadora como eu e tenho de dar força para ela. Tem que correr atrás dos seus sonhos e se amanhã as pessoas que decidem falarem que não pode mais jogar, vou apoiar da mesma forma. Estou aqui para jogar vôlei, não para discutir se pode ou não pode. Preciso dar o meu melhor para tentar parar e defender ela nos jogos", opinou.

Entenda o caso

Tifanny é a primeira atleta transexual a receber autorização para jogar entre mulheres no Brasil. A atuação da jogadora pelo Vôlei Bauru está causando polêmica no meio da modalidade pelo fato dela ter passado por um tratamento hormonal e por cirurgia de adequação sexual. A discussão entre atletas, treinadores e torcedores é de que Tifanny poderia ter vantagens físicas sobre as demais jogadores, principalmente com relação à força.

Atualmente, a federação de vôlei segue uma regra do COI (Comitê Olímpico Internacional), que determina que atletas não precisam passar por cirurgia para serem consideradas mulheres. Só é necessário comprovar que o nível de testosterona no sangue não ultrapasse 10 nanamol por litro em dois exames em 12 meses. De acordo com o Bauru, os exames de Tifanny apresentavam valores abaixo de 1.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo