Fluminense vê crise se acentuar após torcida invadir reunião e pedir saída de presidente

Por Estadão Conteúdo

Menos de 24 horas antes de o Fluminense estrear na Copa do Brasil contra a Caldense, nesta quarta-feira, em Poços de Caldas (MG), em jogo marcado para começar às 19h30, o clube viu a sua crise se acentuar na noite desta terça. Torcedores invadiram a reunião do Conselho Deliberativo do Flu, na sede das Laranjeiras, no Rio, para protestar contra a situação vivida pelo time e para pedir a saída do atual presidente tricolor, Pedro Abad, e do Flusócio, nome do grupo político comandado pelo mandatário.

Por causa da invasão, que contou com a presença de um grande número de seguidores da equipe que adentraram o salão nobre da sede do Fluminense, a reunião precisou ser adiada. Do alto das sacadas do local, onde o Conselho Deliberativo se reuniria com o objetivo de eleger o seu novo presidente, torcedores cantaram o hino do clube e aos gritos pediram pela renúncia de Abad e do seu grupo político, que ouviu o seguinte coro: "Fora, Flusócio, o Flu não é negócio".

Após uma temporada de 2017 já decepcionante para o Flu, a torcida está revoltada com o enfraquecimento do time e o crítico cenário financeiro para 2018, no qual o técnico Abel Braga acabou ficando sem nada menos do oito jogadores que eram considerados titulares da equipe do ano passado, entre eles o atacante Henrique Dourado e o meia Gustavo Scarpa, que reforçou o Palmeiras.

Fernando Leite, presidente em exercício, e Ricardo Lopes, dirigente que trabalha no setor de esportes olímpicos do Flu, eram os candidatos que concorreriam à presidência do Conselho Deliberativo na reunião que ocorreria na noite desta segunda-feira e agora será reagendada para uma outra data.

Durante o protesto, torcedores chegaram a estourar rojões dentro do salão nobre da sede do Fluminense. Pedro Abad, que estava presente na reunião e foi o principal alvo do protesto, acabou deixando o local mais cedo. E os revoltados seguidores tricolores só foram embora depois que a Polícia Militar foi acionada para conter os efeitos da forte manifestação.

Para completar, muros da sede das Laranjeiras foram pichados com frases que também pediam a saída de Abad e do Flusócio, assim como uma outra cobrou a contratação de jogadores para fortalecer o elenco para esta temporada, na qual o time conquistou apenas uma vitória em quatro jogos disputados até aqui no Campeonato Carioca. Assim, ocupa a quarta posição do Grupo C da Taça Guanabara, a primeira fase da competição.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo