Corinthians perde pênalti, e Ponte começa o Paulistão com vitória

Por Estadão Conteúdo
Jadson perdeu um pênalti no segundo tempo Jadson perdeu um pênalti no segundo tempo / Marco Galvão/Fotoarena/Folhapress

O Corinthians estreou com o pé esquerdo na temporada. Em seu primeiro jogo oficial na temporada, deu tudo errado para o time do técnico Fábio Carille. Melhor para a Ponte Preta, que mesmo atuando no estádio do Pacaembu, em São Paulo, e por mais de meio tempo com um jogador a menos, venceu por 1 a 0, com direito a um goleiro de apenas 20 anos pegando pênalti do experiente meia Jadson.

A derrota logo no primeiro jogo oficial da temporada veio com uma certa dose de crueldade. Diante de sua torcida, o time alvinegro vivia o seu melhor momento em campo, sufocava o adversário e aproveitava o fato de ter um jogador a mais quando levou o gol da Ponte Preta. Pouco depois, teve um pênalti ao seu favor e o experiente Jadson falhou diante do jovem goleiro Ivan, que passou insegurança durante a maior parte da partida, mas foi decisivo no momento certo.

Antes da bola rolar, a Federação Paulista de Futebol (FPF) realizou uma rápida festa com fogos de artifício, show de luzes e imagens dos estádios que receberão os jogos do Estadual. O curioso é que, por causa do evento, os atletas das duas equipes tiveram que se aquecer no escuro.

Com a luz acesa, o que começou apagado foi o Corinthians. O time de Fábio Carille talvez sentisse a curta pré-temporada e parecia administrar o ritmo de jogo ainda nos primeiros minutos. Taticamente, a grande novidade em relação ao time do ano passado é o que já deu para ser visto durante a Florida Cup, nos Estados Unidos. Com Jadson centralizado e Clayson e o paraguaio Romero caindo pelas pontas, a equipe ganha em variação de jogadas.

Foi assim, tentando confundir a marcação da Ponte Preta, que o Corinthians cresceu e começou a criar oportunidades. A primeira foi em uma tentativa de Kazim, que pegou a bola meio que no susto, após o goleiro Ivan rebater chute de Jadson. O turco saiu se lamentando e olhando para o céu, como que tentando entender como havia perdido aquela jogada.

A primeira grande oportunidade da partida aconteceu aos 32 minutos, quando Fagner fez jogada pela direita, cruzou, a bola passou por toda a área e encontrou Jadson, que acertou uma bomba na trave. Na sequência, Gabriel também tentou e mandou para fora O Corinthians parecia ter acordado.

E, aos 42 minutos, o atacante Fellipe Cardoso resolveu dar uma ajuda ao Corinthians. Em um lance simples, o jovem atacante foi afobado na bola e ao dividir com Cássio acertou a chuteira no rosto do goleiro. Como já tinha o cartão amarelo, foi advertido novamente e expulso. Com um a mais, o time da casa viu o seu caminho facilitado.

No segundo tempo, só deu Corinthians. Entretanto, a ansiedade e a falta de ritmo de jogos fizeram com que o último passe corintiano desse errado. Em pelo menos três oportunidades, o time alvinegro chegou bem perto da área, mas errou passes nos momentos decisivos.

A Ponte Preta, que já havia ido para o Pacaembu sabendo que o empate seria um bom resultado, se fechou ainda mais. Fábio Carille resolveu responder e colocou Lucca e Marquinhos Gabriel nos lugares de Clayson e Romero, cansados.

E quis o destino que no melhor momento do Corinthians, quando a equipe pressionava e não deixava a Ponte Preta passar do meio de campo, o time de Campinas (SP) achou uma brecha e foi fatal. Aos 23 minutos, Felipe Saraiva viu um buraco na defesa e acertou uma bomba de fora da área, sem chances para Cássio. Um belo gol no Pacaembu.

Com o placar adverso e um jogador a mais, o jeito ao Corinthians era ir com tudo para cima e tentar pelo menos o empate. De qualquer jeito. Após tanta pressão, aos 28 minutos Jadson fez jogada individual e foi derrubado dentro da área. Pênalti para o Corinthians. O meia, experiente, teve que encarar o jovem Ivan, que mostrou insegurança em várias saídas do gol. Mas desta vez Ivan soube esperar e saltou certeiro na bola.

O Corinthians sentiu o pênalti perdido. Continuou com a posse da bola e sofreu diante de um muro criado pela Ponte Preta na frente de sua defesa. Para piorar, Guilherme Romão ainda foi expulso aos 41 minutos. Aos 45, a última chance. Marquinhos Gabriel acertou uma bomba de fora da área e Ivan mandou para escanteio. Já era tarde. No fim, melhor para a equipe de Campinas.

FICHA TÉCNICA

CORINTHIANS 0 x 1 PONTE PRETA

CORINTHIANS – Cássio; Fagner, Balbuena, Pedro Henrique e Guilherme Romão; Gabriel, Jadson (Júnior Dutra), Rodriguinho, Romero (Marquinhos (Gabriel) e Clayson (Lucca); Kazim. Técnico: Fábio Carille.

PONTE PRETA – Ivan; Emerson, Luan Peres, Renan Fonseca e Jeferson; Marquinhos (Mendoza), Leo Artur (Reynaldo), Tiago Real, Felipe Saraiva e Silvinho (Vitinho); Fellipe Cardoso. Técnico: Eduardo Baptista.

GOL – Felipe Saraiva, aos 23 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS – Jadson (Corinthians); Silvinho (Ponte Preta).

CARTÕES VERMELHOS – Guilherme Romão (Corinthians); Fellipe Cardoso (Ponte Preta).

ÁRBITRO – Raphael Claus (Fifa).

RENDA – R$ 677.537,50.

PÚBLICO – 19.622 pagantes.

LOCAL – Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP).

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo