Ribéry fala sobre sua infância dura e da cicatriz que marcou sua vida

Por Metro Jornal
Frank Ribéry, atacante do Bayern de Munique - Alexander Hassenstein/Bongarts/Getty Images
Ribéry fala sobre sua infância dura e da cicatriz que marcou sua vida

Franck Ribéry, atacante do Bayern de Munique da Seleção Francesa, falou sobre sua infância dura e do acidente de carro aos 2 anos de idade que marcou seu rosto com uma cicatriz que definiu seu caráter.

"A cicatriz… Foi isso que me deu esse caráter e essa força. Porque quando se é criança e se tem uma cicatriz como esta, não é fácil. A maneira como as pessoas te veem, as críticas… Minha família sofreu com isso ", explicou Ribéry, em entrevista ao "Canal+"

"As pessoas dizem, 'Olha o que esse rosto tem, olhe para sua cabeça, o que é essa cicatriz, é feio…'. Onde quer que eu fosse, as pessoas sempre me viam. E não porque eu era uma boa pessoa, não porque meu nome é Franck, não porque eu era bom em jogar futebol, mas por causa da cicatriz", continuou.

No entanto, ele nunca derramou uma única lágrima por isto: "embora eu fosse jovem e irritado, eu nunca fui para o canto e comecei a chorar. Nunca, nunca, nunca… mas eu sofri.

Abandonado dos pais no nascimento

Ribéry foi abandonado pelos pais ao nascer Ribéry foi abandonado pelos pais ao nascer / Sebastian Widmann/Bongarts/Getty Images

Ribéry é o protagonista de uma das infâncias mais difíceis no mundo do futebol. Abandonado por seus pais biológicos em um convento de freiras ao nascer, ela sabia como transformar seus problemas em uma história de sucesso.

Quando era jovem, ele revelou que estava sempre se metendo em problemas e brigando. O jogador misturou seu trabalho como pedreiro com sua paixão pelo futebol. Seus primeiros passos foram dados na União Esportiva de Boulogne Côte d'Opal, a equipe em seu bairro onde jogou por dois anos.

Ele passou por Alès, Brest e Metz (todos na França) chegou ao Galatasary (da Turquia) em 2004, um ano depois, ele estava no Olympique de Marselha (de volta à França) e dois anos mais tarde, chegou ao Bayern de Munique (da Alemanha), a equipe em que Ribéry quer terminar sua carreira.

Wahiba Belhami: sua esposa e sua salvação

Ribéry conheceu Wahiba Belhami durante sua turbulenta juventude. Foi o seu amor por ela que o fez mudar e até mesmo converter para a religião muçulmana para a qual ele é agora Bilal Yusuf Mohammed (seu nome para o Islã).

Loading...
Revisa el siguiente artículo