Com 'bruxa solta' no Rally Dakar, multicampeão e ex-técnico do Chelsea abandonam

Por Estadão Conteúdo
Sebastien Loeb - Dan Istitene/Getty Images
Com 'bruxa solta' no Rally Dakar, multicampeão e ex-técnico do Chelsea abandonam

A "bruxa está solta" realmente no Rally Dakar. Em uma edição com um alto número de acidentes, mais um dos favoritos ao título teve de abandonar a competição off road mais importante do mundo. Nesta quarta-feira foi a vez do francês Sébastien Loeb, nove vezes campeão mundial de rali, ter de desistir da prova por causa de um acidente nas dunas do litoral do Peru, perto da cidade de San Juan de Marcona, logo no início da quinta etapa, que terminou em Arequipa (268 quilômetros cronometrados)

Segundo a organização da prova, o carro de Loeb sofreu um acidente em um fosso de areia, sendo que o seu co-piloto, o monegasco Daniel Elena, ficou ferido com muitas dores nas costas. Por essa razão, a dupla se viu obrigada a abandonar o Rally Dakar depois que já estavam com um atraso de três horas nesta quarta-feira.

Um dia antes, nas mesmas dunas de San Juan de Marcona, o britânico Sam Sunderland sofreu uma forte queda, fraturou a coluna e teve de ser retirado de helicóptero do local do acidente. Depois de vencer a primeira e a terceira etapas, o piloto havia assumido a liderança da classificação geral do Rally Dakar, em busca do bi entre as motos. Apesar de ter sido descartada a existência de sequelas, a permanência dele no restante da competição foi vetada pelos médicos.

Sem Sébastien Loeb, o vencedor da quinta etapa foi o líder e compatriota Stéphane Peterhansel, que levou a melhor com o tempo de 2h51min19s. Assim, a vantagem na ponta para o espanhol Carlos Sainz, o segundo colocado, é de pouco mais de 31 minutos.

Entre as motos, já sem Sam Sunderland, o vencedor da etapa foi o espanhol Joan Barreda, com o tempo de 3h19min42s. Ele está em quarto lugar na classificação geral, que é liderada pelo francês Adrien Van Beveren. Nesta quarta-feira, o primeiro colocado do Rally Dakar ficou na quinta posição.

Nesta quinta-feira, o rali deixa o território peruano e chega à Bolívia, com um percurso até a capital La Paz. Os pilotos entrarão na Cordilheira dos Andes, passando pelas margens do lago Titicaca, o navegável mais alto do mundo, a 3.800 metros acima do nível do mar.

Ex-técnico do Chelsea

André Villas-Boas André Villas-Boas / Dan Istitene/Getty Images

Também em um acidente com seu carro, ocorrido na última terça-feira, o técnico português André Villas-Boas – que já comandou grandes clubes como Chelsea, Porto e Tottenham – teve que abandonar a disputa do Rally Dakar. Pela quarta etapa, a bordo de um Toyota Hilux, bateu de frente para o chão após ganhar impulsão em uma duna.

André Villas-Boas chegou a ir para um hospital local, após ser atendido ainda no deserto, para realizar exames médicos. Em uma rede social, anunciou o final de sua participação, além de afirmar que está tudo bem com ele e o co-piloto Rúben Faria.

"Apenas para dizer a todos que eu e o Rúben estamos bem e de volta ao acampamento. Saltamos de uma duna e batemos com a frente do carro no chão. Infelizmente, o Dakar terminou para nós A sorte será melhor na próxima. Obrigado a todos pelas gentis mensagens de apoio", escreveu André Villas-Boas, que ocupava o 43.º lugar na classificação geral.

Loading...
Revisa el siguiente artículo