Real Madrid sai vivo de 'filme de terror' e vai à final do Mundial

Por Metro Jornal e Estadão Conteúdo
Bale marcou o gol da vitória do Real - Matthew Childs/Reuters
Real Madrid sai vivo de 'filme de terror' e vai à final do Mundial

Em um roteiro que parecia o de um filme de terror, com direito a muitas bolas na trave e defesas estranhas do goleiro adversário, o Real Madrid venceu, de virada, o Al Jazira por 2 a 1, nesta quinta-feira, em Abu Dhabi e avançou para a final do Mundial de Clubes da Fifa. Com a vitória sofrida, o time espanhol vai enfrentar o Grêmio na decisão deste sábado.

Apesar das expectativas de goleada, o Al Jazira saiu de campo orgulhoso de sua atuação. O time da casa abriu o placar, com gol de Romarinho, e esteve perto de anotar o segundo, no começo da etapa final. Os sustos só acordaram o Real a partir dos 8 minutos, quando Cristiano Ronaldo empatou. Depois, Bale, saindo do banco de reservas, decretou a virada.

Com o triunfo, o time espanhol confirmou o duelo com o Grêmio, às 15 horas de sábado (horário de Brasília), em Abu Dabi. O time gaúcho avançou ao derrotar o Pachuca por 1 a 0, na terça, na prorrogação. Favorito, o Real Madrid busca o sexto título mundial da história – venceu também em 1960, 1998, 2002 (ainda sem a chancela da Fifa) e 2014 e 2016.

O time comandado pelo técnico Zinedine Zidane quer ainda o quinto título em seis torneios disputados no ano. Em 2017, o tradicional clube venceu o Campeonato Espanhol, a Liga dos Campeões da Europa e as Supercopas da Espanha e da Europa.

O JOGO – Poupando titulares na defesa e no meio-campo, como Sergio Ramos e Kroos, o Real Madrid começou tomando a iniciativa no ataque, como era de se esperar. Nos primeiros 20 minutos de jogo, só deu o time bicampeão da Liga dos Campeões da Europa. Foram chances em série, principalmente de Cristiano Ronaldo e Modric.

Logo aos 2 minutos, o atacante já arriscava de fora da área, mandando por cima do travessão. Foi uma das raras chances em que o Real errou o alvo. Nas demais, o mérito foi todo do goleiro Ali Khaseif. Ele defendeu cabeçada à queima-roupa de Cristiano Ronaldo aos 4. E, aos 6, defendeu em cima da linha.

No minuto seguinte, Modric bateu rasteiro com perigo. O goleiro fez o desvio, a bola acertou o pé da trave e rebateu nas costas do goleiro, saindo pela linha de fundo. O mesmo croata finalizou forte de dentro da área, aos 19, e viu o goleiro cair no canto para fazer mais uma grande defesa.

Sufocando o Al Jazira, o Real balançou as redes por duas vezes. Aos 23, Benzema cabeceou para as redes, mas o árbitro Sandro Meira Ricci anotou falta do companheiro no mesmo lance. Seis minutos depois, Casemiro dividiu por cima e a zaga do Al Jazira marcou contra.

O juiz brasileiro acabou se enrolando na marcação. Inicialmente, anulou o lance. Mas, logo em seguida, recuou e deu o gol, antes mesmo de acionar o árbitro de vídeo. Após solicitar a ajuda, assinalou impedimento e decidiu por anular o lance.

Com posse de bola de até 70%, o Real exibia 17 finalizações no jogo, contra apenas três do time da casa. Mas os números favoráveis e as chances perdidas não alteraram o placar. E não impediram que o Al Jazira abrisse o placar aos 40 minutos, com o brasileiro Romarinho, ex-Corinthians.

Numa rápida investida sobre a desfalcada defesa madrilenha, Romarinho ganhou na disputa com Casemiro e, enfrentando a frouxa marcação de Varane, bateu colocado no canto esquerdo de Navas. Foi o segundo gol do brasileiro no Mundial – tem ainda uma assistência.

O segundo tempo começou movimentado. Logo no primeiro minuto o Al Jazira disparou em novo contra-ataque, iniciado por Romarinho, e parou somente nas redes. A arbitragem, contudo, marcou o impedimento. Na sequência, o goleiro Ali Khaseif, maior destaque da partida até então, sentiu dores musculares e precisou ser substituído.

Sem o destaque do Al Jazira, o Real não teve problemas para empatar. Aos 8 minutos, Modric acionou, pela direita, Cristiano Ronaldo, que não perdoou dentro da área. Na sequência, o time espanhol retomou o domínio visto no primeiro tempo. E voltou a desperdiçar chances. Somente Benzema desperdiçou duas grandes chances ao acertar a trave, aos 20 e aos 23.

O gol da virada veio com a entrada de Bale em campo. Aos 35 minutos, em jogada iniciada por Marcelo, o atacante aproveitou sobra na área e bateu para o gol. Cristiano Ronaldo, na pequena área, ainda tentou completar de calcanhar, mas a arbitragem anotou o gol para Bale mesmo.

Nos minutos finais, o Real não teve qualquer problema para administrar a pequena vantagem no placar, sem levar mais sustos na defesa.

FICHA TÉCNICA:

REAL MADRID 2 x 1 AL JAZIRA

REAL MADRID – Navas; Achraf, Nacho Fernández, Varane e Marcelo; Casemiro, Kovacic (Lucas Vázquez), Modric e Isco (Asensio); Cristiano Ronaldo e Benzema (Bale). Técnico: Zinedine Zidane.

AL JAZIRA – Ali Khaseif (Al Senani); Musallem Fayez, Ali Ayed, Alhammadi (Eissa Mohamed), Fares Juma e Salim Rashid; Mohamad Al Attas, Yaqoub Al Hosani (Ahmed Rabia) e Boussoufa; Romarinho e Ali Mabkhout. Técnico: Henk Ten Cate.

GOLS – Romarinho, aos 40 minutos do primeiro tempo. Cristiano Ronaldo, aos 8, e Bale, aos 35 minutos do segundo tempo.

CARTÃO AMARELO – Ali Ayed.

ÁRBITRO – Sandro Meira Ricci (Fifa/Brasil).

RENDA – Não disponível.

PÚBLICO – 36.650 pagantes.

LOCAL – Estádio Zayed Sports City, em Abu Dabi (Emirados Árabes Unidos).

Loading...
Revisa el siguiente artículo