Medina chega com chances de conquistar o bicampeonato no Mundial de Surfe

Por Paulo Borgia - Metro Jornal São Paulo

E Gabriel Medina mais uma vez está entre os postulantes ao título de um Mundial de Surfe. Com o troféu de 2014, o surfista de São Sebastião, litoral de São Paulo, entrou na seleta lista de grandes nomes que não só conquistam títulos, mas conseguem se manter no topo. E nada melhor do que Pipeline, que começa nesta sexta-feira, para celebrar uma decisão que promete muita emoção.

As ondas de Banzai Pipeline, no North Shore da ilha havaiana de Oahu, recebe a última etapa da temporada 2017 com quatro nomes da disputa, e Gabriel Medina é um forte candidato. O brasileiro está em segundo no ranking, atrás apenas de John John Florence, e a frente de Jordy Smith e Julian Wilson.

Não vai ser fácil, mas Medina aposta na ascensão nessa reta final de campeonato, com os títulos em Portugal e na França. Por outro lado, John John tem a regularidade como arma forte, tendo um título e posições que variam entre terceiro e quinto – sendo apenas um 13º. Jordy Smith e Julian Wilson ganharam uma etapa cada, mas suas chances de título mundial são pequenas.

Para entender melhor essa briga que vai acontecer nas ondas de Pipeline, veja ao lado a matemática que cada um precisa para levantar o caneco, com previsão de final para o dia 20 de dezembro.

Competindo na piscina em 2018

A Liga Mundial de Surfe divulgou o calendário do ano que vem, com mudanças significativas.

Novamente serão 11 etapas da disputa masculina e 10 da feminina. Porém, locais clássicos deixam o circuito temporariamente, como Fiji, que dá espaço para Indonésia, e Trestles, que deixa a perna californiana para a Surf Ranch, ou melhor, a piscina de ondas de Kelly Slater.

Construída em Lemoore, na Califórnia, o tanque forma ondas perfeitas e coloca os surfistas em igualdade de condições para desenvolverem suas habilidades.

O projeto foi desenvolvido em segredo por uma década por Slater, lançado oficialmente em 2015. No evento teste realizado em Ranch este ano, Medina saiu com o título, vencendo Filipe Toledo na final.

“Essa onda é incrível, é a onda dos sonhos, que temos que viajar horas, dias, para buscar uma onda como essa e as vezes nem acha. Hoje a gente tem a oportunidade de ter ela assim tão fácil, tão prático”, disse o campeão na ocasião. 

surfe
Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo