Vasco vence a rebaixada Ponte Preta por 2 a 1 e se garante na Copa Libertadores

Por Estadão Conteúdo
Clever Felix/Brazil Photo Press/Folhapress
Vasco vence a rebaixada Ponte Preta por 2 a 1 e se garante na Copa Libertadores

Depois de seis anos, o Vasco está de volta a uma Copa Libertadores. Diante de 22 mil torcedores no estádio de São Januário, no Rio de Janeiro, a equipe carioca fez o suficiente para carimbar a sua vaga: ganhou da rebaixada Ponte Preta por 2 a 1, neste domingo (3), pela 38.ª e última rodada do Campeonato Brasileiro. Mateus Vital e Paulinho, garotos da base, anotaram os gols vascaínos, enquanto que Lucca descontou de pênalti.

A festa só não foi maior porque o Vasco viu a vaga à fase de grupos escapar minutos depois do fim do seu jogo, quando o Flamengo virou sobre o Vitória por 2 a 1, nos acréscimos, em Salvador, e avançou direto.

O time de São Januário terminou na sétima posição com 56 pontos, os mesmos do Flamengo, que ficou na frente no saldo de gols (11 a -7). Mas o Vasco ainda pode se garantir na fase de grupos, caso o rival seja campeão da Copa Sul-Americana.

A Ponte Preta, por sua vez, despede-se de forma melancólica da Série A. O time de Campinas (SP) acabou na 19.ª e penúltima colocação com 39 pontos, à frente apenas do lanterna Atlético Goianiense. Teve, ainda, a pior campanha como visitante, com apenas uma vitória em 19 jogos. Foram nove pontos em 57 disputados.

Apesar de apenas cumprir tabela, a Ponte Preta iniciou o jogo encarando o adversário de frente. Mesmo com mais posse de bola, os vascaínos ficaram presos à boa marcação do adversário.

A partir dos 20 minutos, enfim, os donos da casa começaram a assumir o controle do jogo. Depois de criar boas chances, sobretudo com o meia Nenê e o atacante Paulinho, o time carioca abriu o placar aos 27. Após passe de Nenê pela direita, o ala Yago Pikachu alçou a bola na área, Paulinho levou a melhor sobre o lateral-direito Nino Paraíba e cabeceou no canto direito do goleiro Aranha.

O placar ainda poderia ter sido ampliado. Aos 33 minutos, Jeferson cometeu pênalti sobre Madson, mas Nenê chutou na trave. E Yago Pikachu até marcou aos 36, após cruzamento de Paulinho. O gol, porém, foi anulado por impedimento.

Na segunda etapa, o Vasco foi mais cauteloso. A Ponte Preta até chegou a assustar em alguns lances, mas sem sucesso. Os cariocas foram mais eficientes e conseguiram ampliar aos 28 minutos com outro garoto da base. Aranha espalmou finalização do volante Evander e o meia Mateus Vital só completou para o gol vazio.

No final, os paulistas ainda diminuíram com o atacante Lucca, em cobrança de pênalti, aos 43 minutos. Ele terminou como artilheiro do time na competição, com 13 gols.

FICHA TÉCNICA:

VASCO 2 x 1 PONTE PRETA

VASCO – Martín Silva; Madson (Éder Luis), Anderson Martins, Paulão e Gilberto; Wellington, Evander (Jean), Yago Pikachu, Nenê (Mateus Vital) e Paulinho; Andrés Ríos. Técnico: Zé Ricardo

PONTE PRETA – Aranha; Nino Paraíba, Marllon, Luan Peres e Jeferson; Wendel (Naldo), Elton, Léo Artur (Saraiva) e Danilo Barcelos (Claudinho); Lucca e Léo Gamalho. Técnico: Eduardo Baptista.

GOLS – Paulinho, aos 27 minutos do primeiro tempo; Mateus Vital, aos 28, e Lucca (pênalti), aos 43 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS – Anderson Martins, Gilberto, Nenê e Paulinho (Vasco); Nino Paraíba, Marllon, Jeferson, Lucca e Élton (Ponte Preta).

ÁRBITRO – Rafael Traci (PR).

RENDA – R$ 1.178.345,00.

PÚBLICO – 20.714 pagantes (22.076 no total).

LOCAL – Estádio de São Januário, no Rio de Janeiro (RJ).

Loading...
Revisa el siguiente artículo