Hoje começo a viver de novo, diz mãe de goleiro da Chapecoense

Por band.com.br
Danilo ex-goleiro da Chape, morto no acidente do ano passado (Foto: Foto: Divulgação)
Hoje começo a viver de novo, diz mãe de goleiro da Chapecoense

Um ano após o acidente da Chapecoense, a mãe do goleiro Danilo, Ilaídes Padilha presta homenagem ao acontecido e ao relembrar o ano que passou, diz ter sido rápido e com muito apoio e homenagens. Ilaídes acompanhou de perto toda a consagração ao seu filho e a Chapecoense, se comprometendo a deixar um legado á Danilo. "Parece que hoje que vou recomeçar a viver, agora estou tranquila", disse em entrevista exclusiva a Rádio Bandeirantes.

A família de Danilo prestou uma homenagem ao goleiro e outros envolvidos no acidente da Chapecó nesta quarta-feira, em Cianorte, Paraná. Ilaídes falou sobre a ausência do filho: "Hoje prestamos uma homenagem ao Danilo, e saber que ele não está aqui para receber, é bastante complicado".

"No momento em que o Danilo morreu, eu fiz uma proposta para estar eternizando a historia dele. Eu não queria que tudo aquilo que ele fez, que ele viveu, conquistou e lutou fosse esquecido" Completou Ilaídes, que se determinou a falar sobre isso abertamente, e a receber pessoas em sua casa para eternizar a historia do filho.

Apesar da perda, Ilaídes agradece a todo apoio recebido por amigos, familiares e família de outros envolvidos. A mãe do goleiro, diz guardar somente as boas lembranças. "Estou agradecendo a Deus hoje, pelos 31 anos que ele deixou meu filho aqui comigo, pela força que ele tem me dado e fico grata de coração a todos que são parceiros comigo nesta dor".

A família passou por momentos intensos ao receber a notícia do acidente, por conta de desencontros nas informações passadas pela imprensa Colombiana. Em primeira ordem foi passado que o goleiro havia morrido, para em seguida a informação ser mudada, deixando a entender de que Danilo poderia ter sobrevivido. Somente após toda a tensão, foi dada a real confirmação de sua morte.

Ao ser questionada sobre assuntos burocráticos, Ilaídes desabafou sobre a situação. “Ficou para a Letícia, esposa dele, e tutora do filho. Para a justiça, a família da pessoa quando ela morre, é somente a esposa e filhos. Eu não entrei nessa questão com a Chapecoense, nem ligar para mim, para falar que meu filho morreu, a chapecoense não ligou".

Homenagens podem ser prestadas no novo Portal da Chapecoense, em memória de um ano do acontecimento.

Loading...
Revisa el siguiente artículo