Com a vantagem, Grêmio enfrenta o Lanús pelo título da Libertadores

Por Valter Júnior - Metro Jornal Porto Alegre
Renato Gaúcho é o comandante gaúcho | Fernando Alves/Folhapress Renato Gaúcho é o comandante gaúcho | Fernando Alves/Folhapress

Mesmo que a Libertadores tenha sido alargada para durar o ano, ela não perdeu a características de diminuir as diferenças. Essa competição traiçoeira, com uma armadilha a cada rodada, coloca o gigante Grêmio contra o Lanús, um clube de bairro, na final de sua edição de número 58, a partir das 21h45 desta quarta-feira, na Argentina. Tanta diferença e um só objetivo.

Desde a chegada de Renato, na metade do ano passado, o Grêmio se acostumou a ganhar a vantagem como visitante e administrá-la dentro de casa. Dessa vez terá de ser diferente. A vantagem de 1 a 0 foi conquistada como mandante e a administração terá de ser em La Fortaleza, modesto estádio da equipe argentina, onde o Lanús conseguiu viradas emblemáticas sobre o San Lorenzo, nas quartas de final, e o River Plate da semifinal.

A vitória por 1 a 0 na semana passada em casa dá ao Grêmio a chance de ser campeão com um empate. Ao Lanús é preciso vencer por dois ou mais gols de diferença. Caso os argentinos vençam por um gol, o título será decidido na prorrogação, já que não há gol qualificado na final. Se o tempo extra terminar com o placar igualado, será preciso passar pela amargura dos pênaltis.

Apesar da possibilidade de um clima bélico, os gremistas adotam um discurso que não contempla possíveis problemas referentes à pressão ou à arbitragem.

“Nós estamos focados só em jogar, o professor Renato passou para gente estar focado só em jogar”, comentou o lateral Bruno Cortez.  METRO poa

Loading...
Revisa el siguiente artículo