Presidente da Federação Italiana renuncia após país ficar de fora da Copa

Por Estadão Conteúdo
Carlo Tavecchio - Alessandro Bianchi/Reuters
Presidente da Federação Italiana renuncia após país ficar de fora da Copa

O presidente da Federação Italiana de Futebol (FIGC, na sigla em italiano), Carlo Tavecchio, renunciou ao cargo nesta segunda-feira, uma semana depois de a seleção nacional não conseguir a vaga para a Copa do Mundo de 2018. De acordo com conselheiros da entidade, uma nova eleição poderá ser realizada em 90 dias.

Tavecchio, de 74 anos, que havia sido reeleito para quatro anos no cargo em março passado, vinha sofrendo grande pressão depois da desclassificação da Itália na repescagem europeia para o Mundial pela Suécia, considerado um desastre no país. O time italiano esteve presente em todas as Copas nos últimos 60 anos

A renúncia do dirigente ocorreu após inúmeros pedidos de uma revisão completa do futebol italiano, desde as ligas amadoras até a principal divisão do país e das seleções nacionais nas mais diversas categorias. Em entrevista ao jornal "La Gazzetta Dello Sport", Tavecchio chorou e colocou a culpa do fracasso no treinador Gian Piero Ventura, demitido por ele dois dias após a eliminação.

A seleção italiana havia decepcionado na fase de grupos do qualificatório europeu para a Copa da Rússia ao obter somente o segundo lugar na chave, atrás da Espanha. A Itália amargou resultados ruins nas rodadas finais do torneio, como o empate em 1 a 1 diante da modesta Macedônia (em casa) e a derrota por 3 a 0 para a Espanha.

Antes disso, o time havia sido eliminado ainda na fase de grupos nas duas últimas edições do Mundial, no Brasil, em 2014, e na África do Sul, em 2010.

Loading...
Revisa el siguiente artículo